quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

DESNAMORAMENTO >> Carla Dias >>

Comentando uma notícia, minha sobrinha de 10 anos soltou um 'desnamoramento', ao invés do desmoronamento sobre o qual queria falar. Passou o dia e aqui estou, escrevendo a crônica de hoje com essa palavra bagunçando meu raciocínio.

Eu desnamoraria uma série de coisinhas, se fosse possível, mas não me refiro a arrependimento. Desnamorar requer apenas deixar de desejar certas coisas... ou pessoas. Ao menos é como penso o sentido dessa palavra que caiu no meu dia.

Com toda certeza, eu desnamoraria a complexidade que anda de viés na minha rotina. Adoraria um pouco de leveza nos afazeres cotidianos, sem que, antes de responder sim ou não, minha cabeça não descambasse às reflexões mais profundas. Que fosse mais agradável a compreensão de que, às vezes, não há como ser imparcial, agradável, submisso ao desejo de estar bem com quem amamos e respeitamos. Às vezes é preciso desnamorar as certezas.

Mais um ano chegando ao fim. Há algum tempo deixei de fazer listas de desejos por conta da virada do ano. Hoje as faço quando preciso clarear o pensamento, colocar os desejos em ordem. Desejar é engrenagem necessária para o dia seguinte... A hora mais tarde... O próximo capítulo... O desejo pelo prazer e aquele outro, apenas pela benquerença, quando o desejo é da gente, mas os frutos dele são para o outro.

Neste ano, quase fim deste, eu farei uma lista de desnamoramento, buscando, no singelo engano na pronúncia de uma menina de 10 anos, suavizar a vida que é minha há tanto tempo, mas que às vezes parece se soltar de mim, permitindo-me apenas observá-la de longe.

E você? A quem (o que) desnamoraria?

E lembre-se: um ano novo não é sinônimo de vida nova, mas apenas nos dá fôlego para olharmos o ontem com o frescor que ele merece. Tudo para que, neste novo ciclo que se inicia, possamos tratar a nós e aos nossos desejos e desnamoramentos com mais coragem... Um olhar novo sobre uma vida em construção.

Um bom novo ano para todos vocês.


Imagem: Unprofund >> www.unprofund.com

carladias.com

Partilhar

6 comentários:

Eduardo Loureiro Jr. disse...

Carla, ainda não sei o que eu DESnamoraria, mas com certeza sua prosa está no finalzinho da lista. :) Agradeça a sua sobrinha por todos nós: sacada genial da menina.

Carla Cris - Pote de Mel disse...

Eu me Desnamoraria...muitas das vezes conseguimos ser nosso pior inimigo quando deveriamos ser nosso melhores amigos...e no final do "desapontamento" vem o "desnamoramento"...Me caiu bem o texto de hj. Sua sobrinha é uma Fada!
rsrsrs
Que desnamorar a Carla Cris que sou em 2010, para em 2011, namorar aquela que virá a ser.
Bjks
Feliz Ano Novo!!!!

albir disse...

Carla,
sua sobrinha começou bem em literatura. Co-autora de uma maravilha de crônica.
Um ótimo 2011 pra você e pra ela.

vanessa cony disse...

Carla,eu desnamoraria muitas coisas...Se bem que o bom mesmo é namorar todas as coisas bacanas dessa vida.
Beijo.Belo texto.
Obs:Beijo na sua bonequinha!

Juliêta Barbosa disse...

Carla,

Eu desnamoraria as minhas certezas, pois elas me impedem de enxergar novas possibilidades de transformar o já traçado caminho...

Como diz Lulu Santos: “Há tanta vida lá fora...”

Feliz Ano Novo!

Carla Dias disse...

Eduardo... Ai, agradecida pela posição na sua lista : )
Agradecerei... E aposto que ela vai adorar o agradecimento!

Carla... Desnamorar pode ser uma ótima oportunidade de saber o que realmente é certo na vida da gente. Então, pode ser bom ou não bom, mas definitivamente é catártico.
Que bom que meu texto que lhe caiu bem... E garanto que a minha sobrinha é uma Fada! E Adora o cargo : )
Que a Carla 2011 seja a versão mais bacana de você. Feliz Ano Novo!!!
Beijos!

Albir... Minha sobrinha já nasmorava a literatura quando sequer a conhecia, quando ela era apenas a curiosidade agarrada pelo seu olhar nas figuras do livro. Ela é co-autora de muitas coisas boas na minha vida.
Um 2011 lindo que só pra você!

Vanessa... Desnamorar não significa não mais flertar com a coisa, mais tarde. Desnamorar é apenas um jeito de olharmos essa coisa de longe, sentindo a importância dela na vida da gente. É um jeito de esclarecer importâncias. E claro que, ao desnamorar uma coisa, a gente logo ser atraca na próxima, namorando as coisas mais bacanas, como você diz.
Mandarei sim o beijo para a minha bonequinha : )
Beijo e obrigada por namorar o meu texto.

Juliêta... Certezas nasceram para que as desnamoremos, para cair de amores por elas, mais tarde, quando são apenas nossos fortes desejos. Desnamorar é apenas uma forma de termos como namorar o que ainda não conhecemos, e que pode nos cair bem no coração.
Feliz Ano Novo!