O LIVRO DOS CARREGADORES - 5a e talvez última parte > Zoraya Cesar

Resumo dos capítulos anteriores - Miguel Arcanjo – sim, ele mesmo – procurou a ajuda de um velho amigo, companheiro de muitas batalhas contra o Mal, para recuperar um objeto  e castigar o demônio que assassinara o Carregador. 

Lucrécio Lucas chegou a uma conclusão bastante perturbadora, até para ele, acostumado ao medo, até para ele, respeitado e temido. Lutar contra o Mal era sua profissão. Seu modo de vida. Talvez de sua morte. 

---------------------

Lucrécio Lucas sabia que o Arcanjo daria conta com tranquilidade da assassina, de resto, um demônio de casta inferior. O problema maior era o humano a quem o demônio entregaria o produto de seu roubo.

- Fale, amigo, a quem você acha que a mulher demônio vai procurar?

Havia poucos – pouquíssimos, na verdade - mortais que poderiam abrir um objeto carregado daquela espécie de magia de trancamento. Alguns pertenciam ao lado da Luz. Dentre os que pertenciam às Trevas, havia um, em especial, talentoso e audacioso o suficiente. Um adversário à altura de Lucrécio Lucas. Talvez até superior. 

- Para Sannara Qaww. 

Sannara Qaww. Descendente direta de uma antiga linhagem de feiticeiras maltesas, ora ajudava as Trevas, ora a Luz, dependendo do que lhe seria mais vantajoso. Uma adversária perigosa e mortífera; mais de um Combatente da Luz já sucumbira sob seus encantamentos. Não era indestrutível nem imortal, mas seu dia final ainda não fora escrito no Livro dos Tempos, e ela sabia se aproveitar disso.

Humano e Arcanjo se entreolharam. Miguel se levantou. Era hora de agir. Lucrécio se preparou. Era hora de partir.

------------------------ A PARTE DO ARCANJO

No mundo mortal existem diversos portais que levam às dimensões infernais, indetectáveis por pessoas comuns, que pensam tratar-se apenas de uma loja, um bar… Ele a encontrou prestes a escapar por uma dessas entradas. 

A velhaca estava demoniacamente feliz. Matara um Carregador! E em troca do objeto roubado (que ela não conseguiu abrir), recebera um poderoso amuleto contra seres de Luz, fabricado pela infalível Sannara Qaww. E agora o próprio São Miguel Arcanjo viera enfrentá-la! Poucos demônios teriam essa “honra”. Alguns já haviam imposto derrotas à milícia celestial, que não era, por conseguinte, imbatível. Nem mesmo o grande São Miguel Arcanjo. Resolveu enfrentá-lo, confiante na vitória. 

- Saia do meu caminho, Arcanjinho, ou sentirá minha fúria! Vou estraçalhar você, furar seus olhos, comer suas asas…

O Arcanjo nem se deu ao trabalho de responder. Se fosse capaz disso até sentiria pena. A mulher demônio estava iludida pela soberba. O amuleto de nada serviria contra ele - muito mais que um ser de luz, uma criatura celestial. 

Gostaria de descrever, aqui, uma luta épica, com sangue, vísceras expostas, peles caindo, ferimentos incuráveis, gritos aterrorizantes. Mas não posso. O demônio era inferior demais. Miguel teve até um certo asco em lidar com tal criatura. 

De uma de suas asas saiu uma pena. Uma única e reles pena, que flutuou suavemente, como que empurrada por um suspiro de criança. A mulher demônio sorriu. Então seria assim que o famigerado Arcanjo se defenderia? O amuleto da feiticeira era bom mesmo!

A ‘reles’ pena subitamente enrijeceu-se e, mais veloz que um raio de luz, decapitou o demônio num golpe certeiro. Miguel olhou friamente para a cabeça, da qual saiam vermes, baratas cascudas e piolhos de cobra numa gosma fumegante.
As portas mais inocentes podem
esconder segredos infernais
- Você não sabia que a soberba é um pecado capital? 

E, abrindo suas enormes asas, partiu. Uma de suas missões estava cumprida. (Do outro lado do portal, demônios encolheram-se e trancaram, da melhor forma possível, a entrada. Eram mais espertos que demônio do lado de fora).

------------------------- A vez de Lucrécio Lucas

Se para São Miguel o embate havia sido fácil, o mesmo não se pode dizer de Lucrécio Lucas. 

Quando Sannara Qaww chegou ao cemitério, ele já a estava esperando. Sabia que apenas lá a feiticeira conseguiria desfazer o encantamento que trancava do livro do Carregador. Sabia, também, que ela estaria sozinha, pois não se arriscaria a ter sua preciosa aquisição roubada por um de seus asseclas e companheiros. (Quanto será que ela pagou praquela demônia burra e assassina?, perguntou-se).

De um lado do Caminho ou do outro, todos cometem erros.

A feiticeira percebeu a presença estranha tão logo deitou o embrulho em uma tumba. E imediatamente jogou um pó na sua direção. Pó de ossos quebrados sob tortura. Lucrécio conseguiu se desviar em parte, e isso já foi bom, pois, se atingido por inteiro, seu corpo se esfarelaria imediatamente. 
Sannara Qaww não teve escrúpulos
em usar uma tumba para 
desencantar um objeto produto
de roubo e assassinato

- Ora, ora, se o famoso Lucrécio Lucas não vai se transformar em massa de modelar, aqui, na minha frente. Não se preocupe, caríssimo, sua morte não será em vão. Jogarei seus restos aos cães do inferno.

Lucrécio Lucas tinha pouco tempo e muito a fazer. Sem um contrafeitiço seus ossos virariam pó em 15 minutos. E precisava impedir que a maga abrisse o livro. Se um Carregador morrera para protegê-lo, significava que o Equilíbrio de Todas as Coisas poderia ser severa e até irremediavelmente comprometido. 

Consciente que Lucrécio estaria preocupado em salvar sua própria vida, temerosa de que alguém mais chegasse antes que ela conseguisse desfazer o encantamento de proteção do livro, Sannara Qaww concentrou-se. Quem diria que um cupim de papiros, engolidor de terra de escavações arqueológicas fosse capaz de um encantamento forte daqueles! Demônio estúpido, se tivesse torturado o Carregador, ele não teria como lançar feitiço algum. Mulher horrorosa. Tomara já estivesse  morta. 

De um lado do Caminho ou do outro, todos cometem erros. Lucrécio fora atingido como um iniciante qualquer. E agora?

--------------------------------

Agora, bem, agora vocês hão de me perdoar!!! Pois o resto da história ainda não me foi revelado. 
Mas prometo, de promessa prometida que no próximo capítulo ela chega ao fim. Se é que o fim não chegou nesse capítulo e eu ainda não sei. Afinal, o pó de ossos quebrados sob tortura é poderosíssimo. Não sei se Lucrécio Lucas escapa dessa...

Continua dia 28 de maio 


Capítulos anteriores de O Livro dos Carregadores

O Livro dos Carregadoreparte um - a irmandade dos Carregadores era tão antiga quanto as primeiras palavras escritas. Seus métodos, também. 
O Livro dos Carregadores parte dois -  se um demônio injeta a Morte Azul em um corpo, não há saída. Ou melhor, há, uma. 
O Livro dos Carregadores parte três - os Carregadores eram, antes de tudo, afeitos ao estudo e à pesquisa. Mas não eram desprovidos de sagacidade ou coragem. E, mesmo prestes a encontrar a Dama dos Portais para sua viagem eterna, soube a quem invocar em seus últimos momentos.
O Livro dos Carregadores parte quatro - São Miguel Arcanjo atendera ao apelo do Carregador moribundo. Disposto a vingar-lhe a morte e a recuperar o livro roubado, ele precisava, no entanto, de ajuda humana. E ele sabia bem a quem procurar. Um velho amigo.

Outras aventuras de Lucrécio Lucas

Os Caçadores - um dia da caça, outro do caçador.

I Maledetti - todos malditos: vítimas e algozes

O Gato - parte 1 - nem durante as férias ele descansa

O Gato - parte 2 - mas a vida e a morte são assim mesmo

Caçadas noite adentro - nem tudo é o que parece; aliás, nada é o que parece

Viúva Negra - nem sempre o mau se dá mal

A Amante - a origem do nome do Lucrécio Lucas

A hora dos mortos - parte 1 - quando uma Alma pede ajuda

A hora dos mortos - parte 2 - quando a Alma recebe a ajuda

Catadores de almas - parte 1 - você pode não acreditar em Catadores de Almas. Mas eles acreditam em você...

Catadores de almas - parte 2Se a sua alma for roubada por um Catador de Almas, reze para que as pessoas certas vão ao seu resgate

Catadores de almas - parte 3a Morte é companheira de todo Combatente. Mas é sempre melhor quando se sobrevive para celebrar a vitória.





Comentários

Ah, meu Deus, mais um capítulo será terrível de esperar... Mas, mais um capítulo será maravilhoso de ler... Que as asas de Miguel sempre nos protejam!
Ah, meu Deus, mais um capítulo será terrível de esperar... Mas, mais um capítulo será maravilhoso de ler... Que as asas de Miguel sempre nos protejam!
branco disse…
final se aproximando.....pressinto grandes acontecimentos. o tal do anjo é esperto por deixar a parte difícil para o mortal...coisas de cronista que ousa, e o faz muito bem...
Érica disse…
Claro que o Lucrécio Lucas vai sobreviver. Você não faria uma bobagem desse tamanho: matar o Lulu, ora, ora... Inconcebível isso... Eu ia até reclamar de mais uma continuação, mas depois daquele teaser, você está perdoada... Mas é só uma exceção... Não se atreva a fazer isso de novo! Kkk
Zoraya Cesar disse…
Trazer cortesia de uma amiga, baita contista aqui do cronicadodia, a talentos e generosa Nádia Coldebella!!
Marcio disse…
Um antigo ditado, permeado de sabedoria popular, ensina que "água morro abaixo e fogo morro acima, quando começam, ninguém segura" . Há algumas extensões indecorosas a essa frase, mas eu vou me abster disso, para evitar problemas desnecessários.

Então, quando a Zoraya QUER escrever alguma coisa, nem ela mesma consegue evitar. Segue transcrição:

"Gostaria de descrever, aqui, uma luta épica, com sangue, vísceras expostas, peles caindo, ferimentos incuráveis, gritos aterrorizantes. Mas não posso."

Ora, como não pode???? Zoraya, você ESCREVEU aquilo que mencionou não poder escrever.


Zoraya Cesar disse…
Ana - hahaha, gostei da contradiçao, obrigada, Aninha

branco - my lord, obrigada pelo elogio de 'ousada'. felizaça aqui.

Érica - o teaser foi cortesia da Nadia Coldebella, cronista formidável e mara de amiga, que generosamente fez e me ofereceu o teaser! e gostei da sua intimidade com o Lucrécio Lucas, "Lulu", vou contar pra ele kkkkkk

Marcio - sempre espero seus comentários q me fazem rir, e esse foi mais um. Adorei. Em minha defesa, no entanto, observo que eu escrevi, mas nao descrevi...

A todos, muito obrigada. A leitura e o comentário de vocês fazem toda a diferença.
Albir disse…
Certeza de que você e Nádia andam combinando as torturas. E depois que viciam a vítima, ameaçam encerrar.
Lembro um piada que perguntava o que era o cúmulo do sadismo, e respondia: é quando o masoquista suplica: "me bate, me xinga, me maltrata!" E o sádico responde: "não!"
Ah não, eu tinha certeza que saberia o final da história hoje!!!! Quanta imaginação você tem Lady Zô! Adorei o vôo da pena do Arcanjo Miguel, e senti um arrepio lendo sobre o pó de ossos quebrados sob tortura...
Paulo Barguil disse…
Zoraya, você não me engana, pois bem sei que a História ainda está longe do final! HAHAHAHAHA

Postagens mais visitadas deste blog

A CORUJA >> Sergio Geia

RESGATE DO PASSADO parte 2 - UMA AVENTURA DO DETETIVE SEM NOME >> Zoraya Cesar

UMA PRETENSA TEORIA DA COISA >>> Nádia Coldebella