RAIVA >> Paulo Meireles Barguil

Ela está em todas as listas das emoções básicas humanas.


Embora todos estejamos geneticamente habilitados para vivenciá-la, há aspectos sociais que influenciam a quantidade e a qualidade da ocorrência dela, tanto na motivação, como na expressão.


Apesar de ela exprimir a insatisfação da pessoa com algo, não é adequado, simploriamente, considerá-la negativa, pois ela pode ser canalizada para a transformação da situação que a causa.


A frequência e a intensidade dela impactam diretamente na qualidade de vida: a adrenalina e o cortisol, liberados quando ela ocorre, diminuem, respectivamente, a nossa capacidade de interpretar, em várias perspectivas, o ocorrido, bem como a sensação de bem-estar, pois reduz a serotonina.


O cotidiano é repleto de armadilhas, internas e externas, conscientes ou não, que podem, a qualquer momento, propiciar a ocorrência dela.


A polarização, qualquer que seja ela, é uma ótima detonadora, motivo pelo qual é recomendado evitar aquela: a impossibilidade de sempre evitá-la não invalida o conselho, muito pelo contrário!


Eu sei: não é fácil evitar a arenga com quem está sempre lhe provocando, deliberadamente ou não.


Você acredita que está fazendo a sua parte quando ignora a outra pessoa?


Lamento lhe informar que a sua atitude pode, paradoxalmente, inflamá-la ainda mais, aumentando o  grau de animosidade dela.


Acredito que somos capazes de transformar os chicotes, físicos, verbais e psicológicos, em laços amorosos.


E você?

Comentários

Sandra Modesto disse…
Crônica perfeita para os dias atuais. Parabéns.
Zoraya Cesar disse…
Que interessante, Paulo, misturar raiva e polarização, destacar que a raiva é necessária, mas tem de ser controlada. A polarização é o mal do século. E sua crônica, uma ótima sugestão para uma conversa de fim de tarde entre amigos.
Albir disse…
Realmente, Paulo, muito interessante!
Como dizem os farmacêuticos, a diferença entre o remédio e o veneno é a dosagem.
Paulo Barguil disse…
Agradeço-lhes, Sandra, Zoraya e Albir, as apreciações. :-)

Postagens mais visitadas deste blog

A CORUJA >> Sergio Geia

RESGATE DO PASSADO parte 2 - UMA AVENTURA DO DETETIVE SEM NOME >> Zoraya Cesar

UMA PRETENSA TEORIA DA COISA >>> Nádia Coldebella