terça-feira, 27 de setembro de 2011

COISA DE CRIANÇA >> Clara Braga

Ultimamente tem se ouvido muita gente falando que a infância de hoje está perdida. Os filmes que são considerados infantis não são lá tão infantis assim, as músicas para crianças são terríveis, não se vê mais crianças brincando na rua, como tinha na época em que era divertido jogar amarelinha, pique-esconde, pique-pega e outras brincadeiras que juntavam as pessoas e facilitavam esse processo de fazer amizades novas.

Hoje em dia as escolas se tornaram lugares onde as crianças sofrem com o tal do bullying, que sempre existiu, mas que antigamente era chamado de brincadeira de criança. Afinal, quem nunca estudou com o “cabeça” ou com o “boca”? As arminhas de brinquedo que a gente levava para a escola para colocar água dentro, e fazer guerrinha de água no recreio, viraram armas de verdade que matam alunos e professores.

Tenho certeza de que armas não são coisa de criança, assim como também não são coisa de adultos, mas por mais perdida que essa infância esteja, o que é, afinal, coisa de criança?

Estou questionando isso porque, por mais que eu não goste de lembrar minha infância, por “n” motivos, gosto de lembrar de algumas coisas que fizeram parte dela. E foi nesse clima nostálgico que eu fui ao cinema assistir a um filme que eu assisti muitas e muitas vezes quando eu era pequena: O Rei Leão. Sim, ele está no cinema, e o melhor de tudo, 3D.

Não me lembrava do filme nos mínimos detalhes, mesmo tendo assistido muitas vezes, mas lembrava que achava muito lindo e também que eu costumava chorar assistindo, o que é normal para uma pessoa que chora até assistindo Caldeirão do Huck. Lembrava todas as músicas, e ia cantando junto conforme elas tocavam. Mas uma coisa que eu não lembrava era o quão triste era a cena da morte do pai do Simba, o Mufasa. Scar, o irmão dele, arma tudo para que ele morra e ainda o joga de um precipício de propósito. Depois que Simba vê o pai morto, Scar se aproxima e diz que ninguém nunca mais vai perdoá-lo, pois o pai morreu tentando salvá-lo, ele é o culpado pela morte do pai, e por isso deve fugir para nunca mais voltar. Logo que ele se vira e começa a correr para fugir, Scar manda as hienas atrás dele para matá-lo.

Tudo bem, o filme é lindo, tem outras cenas muito engraçadas, mas eu posso dizer que na minha época era considerado filme de criança um filme onde um personagem é capaz de matar o irmão com as próprias mãos e mandar matarem o sobrinho só por interesse de poder. Assim como também eram divertidas brincadeiras que diziam que o disco de vinil da Xuxa, quando rodado ao contrário, fazia adorações ao diabo.

Mesmo com essas e com muitas outras brincadeiras que mexiam com essas coisas que não são muito coisa de criança, eu acredito que eu tive uma infância muito boa, mas assistir a O Rei Leão adulta me fez pensar que talvez esse não seja lá um filme tão infantil assim. Na verdade, a pergunta certa a se fazer talvez seja: Será mesmo que existem coisas só de criança?

Partilhar

2 comentários:

Eduardo Loureiro Jr. disse...

Boa pergunta, Clara.

Roberta "Mimi" disse...

Eu também acho que não é tão infantil assim. É muita informação para a cabeça de uma criança.
Beijo,
Roberta