CONSELHOS ÚTEIS >> Clara Braga

Começar um novo relacionamento é sempre muito curioso. Digo curioso porque esse é um dos sentimentos que está sempre presente. A gente está curiosa pra saber como vai ser, curiosa sobre a pessoa, querendo conhecer, estar perto e também ser parte da vida dessa pessoa. E estamos também sempre curiosas para saber se essa curiosidade é recíproca, claro!

Mas outro dia percebi que essa curiosidade não é só de quem está no relacionamento, os amigos que acompanharam os relacionamentos anteriores que não deram certo também querem saber se dessa vez você está com alguém legal, que lhe trata bem e que também quer fazer parte da sua vida de forma que possa lhe acrescentar algo e não lhe empacar.

Dessa curiosidade e cuidado dos amigos, surgem os conselhos. Atire a primeira pedra quem nunca teve um amigo ou amiga que sempre tivesse um bom conselho para dar. E mesmo com aquele ditado que diz que se conselho fosse bom não era de graça, alguns deles são úteis, sim. Normalmente os úteis são aqueles mais básicos, como: tenha paciência, entenda que vocês são duas pessoas diferentes, sempre tente resolver as coisas conversando, aprenda a ceder em algumas coisas, mas não sempre, pois você também tem suas vontades e essas coisas básicas.

Mas por outro lado, tem aqueles conselhos estranhos que nem é bom levar em consideração, como: não atenda sempre que ele ligar, pois você vai parecer muito disponível; quando ele ligar e você perder a chamada, não retorne logo que ver para parecer que estava ocupada; sempre deixe ele saber que você tem um amigo que gosta de você, pois assim ele vai se sentir ameaçado e ver que, se ele não cuidar, vai abrir espaço para a concorrência; e outros conselhos desse tipo.

Foi depois de ouvir alguns desses conselhos doidos que eu aprendi a falar do meu relacionamento para poucas pessoas, só aquelas realmente de confiança, exatamente para evitar que todo mundo dê pitaco. E foi em uma conversa com uma dessas pessoas de confiança que eu ouvi o conselho mais engraçado que eu já ouvi na minha vida e que, por que não dizer, até que faz sentido.

Ela disse: “Clara, nunca compre presente parcelado, porque se o namoro terminar você vai ter que agüentar a nova namorada passando a mão e alisando aquela calça jeans que você nem terminou de pagar ainda!”

Bom, fica a dica.

Comentários

Marco André disse…
HUAehuAehuAHeuHAEuhae
Boa Clara!! ;D
Muito bom, Clara. Os conselhos bons você aproveita. E os demais, você recicla em boas crônicas como essa. :)
Caca disse…
Como dizem os mais pessimistas: nada é tão ruim que não possa piorar. Imagine no caso de casamentos. A pessoa depois de perder dois imóveis, no terceiro passa a pagar aluguel para não ter mais que ficar martelando na cabeça se o terceiro casamento vai minando: Ai, meu Deus, lá se vai mais uma casa.rsrs. Abraços. Paz e bem.
Ana Braga disse…
Muito bom Clarinha! Eu já havia percebido. Dependendo do trauma de cada amigo, surge um conselho ainda mais elaborado, contendo vestígios da dor de cada um.

Postagens mais visitadas deste blog

SETEMBRO DE MANHÃ >> Sergio Geia

MELANCOLIA >> whisner fraga

FEIJOADA NO SIMEÃO >> Sergio Geia