quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

UGA, UGA >> Kika Coutinho

Eu não sei você, mas eu fui criada para ser uma pessoa inteligente, meio intelectualizada, educada, animal racional mesmo.

Passei a vida aprendendo que deveria trabalhar, estudar, ser educada com as pessoas, segurar arrotos, puns, raivas, gritos e nunca, nunca, palitar os dentes, por exemplo.

Cresci aprendendo a não gritar com os outros mesmo se estivesse louca de ódio, a não agir impulsivamente, a não grunhir, a falar baixo, a segurar o elevador para quem viesse chegando e a sorrir doce para o vizinho — mesmo sem vontade.

Embora sejamos animais, crescemos educados para sermos intelectuais e passamos a vida nos fantasiando de saltos altos, maquiagens, gravatas e outros adereços de gente inteligente.

Só que um dia ficamos grávidas e, logo, descobrimos que somos macacas. Exatamente, somos macacas de brincos e batom.

Quando o neném nasce, piora e a gente se sente vaca. Não naquele sentido pejorativo, não. Nos sentimos vacas rainhas, deusas vacas, como se fôssemos vacas na Índia. Mas, ainda assim, é estranho passar os dias a alimentar seu pequeno bezerro e acreditar que a vida, tal qual conhecemos, continua.

Continua nada! A vida humana acabou e nós entramos no reino animal. O cabelo penteado deixa de ter importância, os batons passam a ser acessório de outra pessoa — uma macaca que ainda não sabe que é macaca — e a vida passa a ser como numa floresta: engatinhamos até o nosso filhote, damos o peito, ninamos, limpamos o cocô dele (para que ele pense que é humano também), dormimos um pouco, bem pouco, e nos alimentamos com frutas e verduras — se estiverem brotando no chão de nossa casa, pegaremos com as mãos e assim comeremos.

Viramos instinto puro e é o nosso instinto de mamífero que nos diz por que chora essa nossa cria, por que grita e do que é esse grunhido que ela emite.

Mal consigo me lembrar do dia em que eu usava excel, sabia a cotação do dólar, passava blush e rímel.

Eu não sei você, mas eu virei bicho. Assumo que sou um espécime menos evoluído que o humano, uma macaca de 1.65m que veio aqui nesse mundo para parir, criar seus filhotes e, assim, preservar a espécie. Todo o resto, todo o resto que me ensinaram a vida toda, é mentira pura. Uga, uga!

Partilhar

4 comentários:

C. S. Muhammad disse...

Hahaha! Deixe estar que daqui há uns 12 meses você vai voltar a pensar e agir como (se fosse)homo sapiens again!:)

Angustia Notívaga disse...

Muito boa...
Me senti uma vaca... e uma macaca... rs

Anônimo disse...

Fantastico!!:)

Cristiane disse...

Esta eu adorei! Aliás, gosto de todas, mas de algumas gosto mais que as outras :D