quinta-feira, 1 de outubro de 2015

#PARTIU VIVER? >> Mariana Scherma

Sabe o que eu mais acho incrível nas redes sociais? Como as pessoas acabam se tornando diferentes do que são. Diferentes mesmo. Todo mundo é bonito, sai de casa maquiado, com o cabelo certinho, come um prato digno de chef e leva essa vida de comercial de margarina. Eu tenho perfil em quase tudo o que é rede, mas também tenho uma teoria que funciona, pra mim, pelo menos: quanto mais ativo você está na internet, mais chato está seu dia a dia. Sério, eu acredito nisso. A não ser que você seja desses YouTubers que ganham a vida mostrando a própria... vida.

Ficar reclamando de tudo, do calor, do tempo seco, da chuva, da fila, do telemarketing e outras coisitas, acontece vez ou outra. Mas um monte de atualização no mesmo dia... Hmmm, repense sua vida. Quanto mais tempo a gente se dedica a postar coisas que os outros vão gostar, curtir e comentar, menos a gente vive a vida real. Você está na hora do almoço, com seu prato lindo e quentinho esperando pela primeira garfada... A atitude certa seria cair de boca, quer dizer, de garfo e faca, confere? Mas não, hoje o “certo” é fotografar e criar uma série de hashtags: #horadoalmoço #fome #nofilter #pornfood #blábláblá. Preguiça, gente. Vamos comer e mastigar devagar que é melhor.

Boa parte das pessoas, nas redes sociais, vive a vida que queria viver. Dá a impressão de que a internet se transformou em um trailer do seu dia a dia. E, sei lá, mas qualquer trailer no cinema parece interessante. Mais do que o filme em si. É só editar, passar um blush na realidade e apagar os defeitinhos com um filtro poderoso. Acho que ok fazer isso, eu mesma não vou curtir sair com o cabelo arrepiado em foto, o problema é acreditar que a vida alheia é assim, 100% irretocável e divertida.

Qualquer pessoa viva experimenta momentos de tristeza, tédio, preguiça, falta de inspiração, espinha, comida feia no prato, cabelo rebelde, olheira, erros de português, dúvida sobre um tema... Supernormal não ser perfeito, supernormal não ter tanquinho mesmo frequentando a academia, não ter uma opinião formada sobre algo. Anormal mesmo é essa vida plástica que a gente nota pelo Snapchat, Facebook e Instagram. Anormal mesmo é #escrever #só #usando #hashtag. 


Partilhar

Um comentário:

Anônimo disse...

file:///C:/Users/Kanokosou/Desktop/Pensar/pensadfd.jpg

O celular é a nossa prisão