terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

OUVINDO O SILÊNCIO >> Clara Braga

Não sei dizer exatamente como nem quando aconteceu, só sei que de alguma forma chegamos ao ponto onde, como dizia Renato Russo, as pessoas falam demais por não terem nada a dizer. E então começaram a falar tanto, mas tanto mesmo, que as palavras se tornaram pequenas e agora muitas palavras que eram cheias de significado já não são quase nada.

Além das palavras terem se tornado só palavras, o silêncio se tornou um problema. Nós esquecemos como é que se faz para apreciar esses pequenos momentos onde não temos nada a dizer, mas não porque estamos chateados com quem está ao nosso lado, que é o que a maioria pensa, mas sim porque às vezes queremos só apreciar o momento.

Pensei muito nisso depois de ir ao cinema assistir ao filme O Artista. Que filme maravilhoso! Ali sim podemos entender o que significa a palavra expressão. Muitas vezes nos expressaríamos muito melhor e com muito mais sinceridade se parássemos de falar um pouquinho e fizéssemos mais. Dizer que sente saudade de alguém é muito pouco perto de ir fazer uma visita a alguém que você já não vê faz tempo. Dizer parabéns para alguma conquista de outra pessoa não é a mesma coisa que comemorar essa conquista junto com a pessoa. E dizer eu te amo não é a mesma coisa de preparar uma surpresa, de dar flores, escrever uma cartinha, ou várias outras coisas que a gente pode fazer para mostrar para alguém que a ama, em vez de só dizer.

Não vivi a era do cinema mudo, mas já vi alguns filmes, principalmente do Chaplin. Confesso que ir ao cinema para assistir a um filme que foi propositalmente feito em preto e branco, e mudo, em uma era onde tudo explode, tudo faz barulho, todos falam o que sentem sem precisar mostrar que realmente estão sentindo, foi uma experiência muito boa.

No começo, me senti um pouco estranha, em certos momentos eu conseguia ouvir as pessoas mastigando as pipocas, uma barriga roncou, e deu para acompanhar os trailers que passavam na sala ao lado. Mas o filme te prende de uma maneira incrível e me fez realmente refletir, nem sei se a intenção do filme era mesmo te fazer refletir ou deixar alguma lição, mas essa coisa do silêncio que incomoda tanto ficou em mim por uns dias.

E ficou também uma lição. Se você não é muito chegado ao silêncio, mas também quer fugir dessa onda de falar sem dizer nada, arrume outra forma de se expressar, vá sapatear, dançar, cantar, qualquer coisa com a qual você se sinta bem. Mas vamos tentar manter em mente que dizer só com palavras é fácil, muitos dizem para os seus maiores inimigos que os amam com uma facilidade imensa. Difícil é falar com os olhos, com o coração, enfim, com o corpo todo.

Partilhar

Nenhum comentário: