terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

DEEM UMA CHANCE AOS LIVROS
>> Clara Braga

Lá estava eu, lendo as crônicas que gosto de ler, quando me deparei com uma que falava muito bem a respeito do livro Precisamos falar sobre o Kevin.

Fui pesquisar sobre esse livro de que eu nunca tinha ouvido falar antes, a tal crônica realmente me deixou curiosa. Pareceu-me um livro interessante. Procurei em uma livraria, não tinham o livro. Um tempo depois, procurei em outra livraria, mais uma vez não tinham o livro.

Bom, com tantos outros livros bons para se ler nesse mundo, resolvi desistir desse tal de Kevin, até parecia que ele estava se fazendo de difícil pra mim.

Alguns dias depois, fui dar uma olhada em alguns filmes que iam estrear para já fazer minha listinha de filmes para assistir antes da entrega do Oscar. Sim, eu sou esse tipo de pessoa que tenta assistir à maioria dos filmes que estão concorrendo à premiação, para não ficar de fora, mas quando chega o dia de ver durmo igual pedra, nunca consegui assistir a uma premiação até o final. Mas isso não vem ao caso, a questão é que, dentre os filmes que iriam estrear, lá estava o Kevin.

Isso só aguçou mais ainda minha curiosidade. Não era possível, isso só podia ser um sinal. Lá fui eu atrás do livro novamente, até porque eu não gosto de ver o filme antes de ler o livro, acho que a surpresa é sempre maior lendo o livro, afinal, você leva alguns dias lendo, se questionando sobre o que vai acontecer depois, criando hipóteses, se surpreendendo a cada página. Já no filme não, todo esse processo de criar hipóteses, de se envolver no filme e de se surpreender com a resolução das coisas acontece naquelas aproximadas duas horas que o filme tem e pronto, acabou, hora de ir para casa.

Para minha surpresa, na minha terceira tentativa, lá estava o livro. Finalmente! Comecei a ler, superempolgada e... não gostei. Achei tudo muito doido, não é possível que fosse daquele jeito... Passei da metade do livro achando que a qualquer momento iria acontecer alguma coisa que iria mudar tudo e eu iria ficar vidrada no livro, mas até então nada.

Resolvi então fazer uma coisa que eu nunca havia feito antes, assistir o filme sem terminar o livro. E hoje estou aqui para pedir a vocês que não cometam o mesmo erro que eu. Que arrependimento! O livro realmente iria dar a volta por cima e me surpreender, mas eu não dei a ele a chance de fazer isso... Não desistam de livros que todos elogiam, eles sempre podem te surpreender nem que seja na última página.

Partilhar

3 comentários:

Anna Christina Saeta de Aguiar disse...

Li o livro já há mais de ano, depois de ver uma entrevista da autora na FLIP... É mesmo doloroso, triste, cruel, enfim, um monte de coisas, mas valeu. Vamos ver se vejo o filme. Ao contrário de você, eu só vejo os filmes quando passam no telecine :)

maria rachel oliveira disse...

Eu devorei o livro e gostei muito do filme. Acho que a Tilda Swinton (é assim que escreve?) arrasou. Mas é questão de química mesmo. Já tive livros excelentes na minha mão... que no início não bateram. Acontece. Tipo "o cara certo na hora errada"... rs. Não se culpe. E mesmo assim, acho que vale dar uma segunda chance à leitura - mesmo que ela venha acompanhada de outros rostos pros seus personagens imaginados.

bjs!

Anônimo disse...

gente encontrei um rapaz lá do Maranhão que escreve algumas cronica muito legais, nesse blog www.folhadipapel.blogspot.com muito promissor esse guri!