Pular para o conteúdo principal

óbvio olhar >>> branco




meu olhar pregado
no Cristo pregado
na cruz pregada
na parede do meu quarto













cai o pano

o crucifixo
(artesanato em madeira e bronze)
por 
Mário Branco

foto
Marinho

Comentários

Carlos Eduardo disse…
Quais imagens passam diante dos olhos?
Quais os pensamentos que sobrevoam essa cena?
A síntese do tudo. Bravo!!!
Márcio disse…
Quando a poesia e o poeta são grandes, só nos pode ser oferecido ujma coisa deste padrão. Brilhante e verdadeira reflexão.
Sandra Maria disse…
O poeta das palavras claras em outros estilo. ainda assim viajo nos seus escritos. Obrigada por compartilhar.
Anônimo disse…
Lendo e relendo e procurando um sentido.
Alessandra Calil disse…
Bela reflexão 👏👏
Anônimo disse…
A parede.
Ou nós nos limitamos a ela ou a quebramos e seguimos em nosso devaneio. Até nas pouca palavras sua eloquência grita. Bravissímo mestre poeta!
Anônimo disse…
Despregue-se.


R. Pinheiro ⭐
Miriam Calfat disse…
Reflexão curta porém profunda. Nos faz refletir sobre o sentido da vida e da morte. Parabéns mais uma vez! Você é brilhante!
Walter disse…
E quantas coisas passam diante de nossos olhos que nos leva a transpassar a parede. Genial! Obrigado.
Tereza Lima disse…
Passa um vida inteira diante do maior sofrimento da terra..
Osmar disse…
Você é demais. Parabéns.
Anônimo disse…

Nem olhos viram
Nem ouvidos ouviram
O que Deus tem preparado
Para aqueles que o amam........

Parabéns Wilson

Elaine Franco
Felix Chamorro disse…
Bela cronica destacando o maior exemplo de amor e humildade, para salvação de todos que os que crerem !Abraços Branco.
Anônimo disse…
O Filho sacrificado aos olhos do poeta tem uma simplicidade e verdade que aos nossos olhos seria imperceptíveis.
Claudio disse…
Lí...com respeito. Tão simples.... tão impactante... ainda estou parado ali tentando entender como me afetou. Parabéns Wilson... sua poesia me tocou e me fez parar para refletir. Aquele prego na parede me levou á infância na casa de parentes ... A sensação de uma cruz torta na parede, como se ainda não bastasse os cravos na cruz pregados em outrora, a confirmação pelas mãos de quem pregou mais um na parede, trazendo para a realidade de quem pregou, o ontem...Mãos do ontem que pregam a gora coma as mãos do hoje... ainda estou com a imagem na minha cabeça..
Anônimo disse…
Brilhante!
Mauro B. disse…
O óbvio olhar do sofrimento nestes dias de pandemia! Estamos presos. Bem representada.
Antonia Mansour disse…
Com pouquíssimas palavras dizer tudo. Um brilho especial.
Camilian disse…
Como sempre, inspirador.
Amo ser sua filha <3
Zoraya Cesar disse…
Para quem entende o profundo, poucas palavras bastam para nos fazer mergulhar no mesmo espanto. Muito obrigada!
Albir disse…
A fé cruza a parede nua que espelha a devoção do olhar.
Verinha disse…
O olhar da fé! Perfeito!