Pular para o conteúdo principal

CÁ PRA NÓS >> Fred Fogaça



cá pra nós: eu fecho a cara e cruzo os braços, olho de cara feia a vida e resisto e me recuso. entre eu e você: todo assim menino, birrento, vítima do correto, aliciado do travesso: eu tenho motivos rasos pra uma tristeza profunda mas os problemas graves já não me pegam mais.

a derrota categórica é um mal passageiro, mas as pequenas frustrações são intragáveis e eu vou culpar quem? eu menino, eu de cara de fechada e olhando feio o que? sem nem saber o que é culpa e quanto mais a quem atribuir.

cá pra nós: eu continuo sem muito a dizer: só há raivas espontâneas que aguardam a cada canto da casa e me perseguem por esses dias de claustro: e eu me esvaziando das vontades comuns porque o tédio é mais primoroso no ofício que qualquer meditação.

sigo assim, breve, com ódio, em grandes lutas diárias por causa alguma: sem novidades.

Comentários

Zoraya Cesar disse…
Esses embates eternos, nós em nossa luta inglória contra o inelutável. Fred, vc escreve bem demais!
Albir disse…
Tem razão, Fred! "...tédio é mais primoroso no ofício que qualquer meditação."