quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

SÓ MAIS UMA PERSONAGEM >> Carla Dias >>


Lá vai ela, arrecadando suspiros, cultivando pensamentos nas cacholas alheias. Andando descalça no jardim da vida, dançando ao som da música que mora em sua memória, enchendo os olhos dos curiosos de delicadeza.

Contadora de histórias experiente, já inventou cento e cinquenta e sete personagens, com os quais convive pacificamente. Uns moram na sala de sua alma, outros na cozinha, há aqueles que, apreciadores profundos de certa mordomia, moram no sofá da sala e adoram assistir novela. Há até poeta que se levanta no meio da noite para resgatar poema ignorado durante o dia, só para poder declamá-lo na boca da madrugada.

Lá vai a moça que aprecia uma boa inquietude, que reage a elas a contento, que tem ciência de que amor dá trabalho, mágoa é desperdício de tempo e acerto nem sempre é resultado da escolha feita. Que os erros nasceram para nos abismar com seu jeitinho de cultivar avessos, e para nos mostrar o que pode ser aperfeiçoado. Ela que não tem problema que seja para assumir o erro, repensá-lo, compreendê-lo para que o acerto venha na próxima.

Há quem se desmanche todo diante do sorriso largo da moça que anda por aí sem dar atenção a quem deseja tolher a sua esperança. Esperançosa assumida, ela leva o diariamente em seu coração, que é um cantinho receptivo, onde também moram aquelas dúvidas danadas. Também não tem medo de encará-las, não. Feito olhar seu se cruzando com olhar seu no reflexo do espelho nem sempre seu.

Lá vai a moça vestida nos panos que lhe apetecem, do jeito que lhe apetece, no ritmo que lhe apetece. Distribuindo cores e desfilando em passarela improvisada pelo desejo de conhecer mais sobre o mundo, geográfica e antropologicamente. Já descobriu, por exemplo - assessorada por agente de viagem, e um plano para pagar sonho em 24 vezes, primeira parcela no Carnaval, abençoada pelos Pierrôs e pelas Colombinas, o Samba Enredo mais inspirador de trilha sonora -, que assim como lugares, as pessoas também podem ser cenários. Sabe como? Aquele lugar que é o outro, no qual você deposita os olhares mais afetuosos e exercita abraços, provoca alguns atos mais levados, dependendo do status do relacionamento. Às vezes, até deseja se mudar de vez para lá, só para se enroscar no cenário.

É sabido que a moça, aquela que lá vai, faz uso da sua liberdade da melhor forma: experimentando-a. Por isso escolhe as escolhas que a seduzem, encarando consequências com muita classe, mesmo quando lhe dá vontade de mudar de planeta. Muda-se, então, para o começo da noite, quando acontece aquele momento em que tudo a sua volta silencia. É silêncio prefaciador de bom agouro, que logo mais, chegarão os amigos para uma Roda de Sonho, tamborins e cuícas a postos.

Imagem: The Acrobat © Marc Chagall | www.marcchagallart.net

carladias.com




Partilhar

3 comentários:

Anônimo disse...

Cada um com seus misterios e a vida com os seus misterios tambem.

Zoraya disse...

"Muda-se, então, para o começo da noite, quando acontece aquele momento em que tudo a sua volta silencia. "... capricho nessa frase, hein? Que beleza, muito Carla Dias, esse texto lindo

Carla Dias disse...

Anônimo... Você mesmo é um mistério :)

Zoraya... Beijos e obrigada.