quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

A GUERRA DA BELEZA >> Mariana Scherma

Dos conceitos abstratos da vida, a beleza ganha longe em dificuldade de ser compreendida. O que é bonito pra alguém pode ser horroroso para o outro. E ainda pode complicar: o que é bonito hoje-agora-já pra você, de repente, se torna feio amanhã-depois-logo-menos. No fundo, essa história de que o que é feio pra um é lindo para outro funciona muito bem, naquele velho esquema tem gosto para tudo.

O problema é quando você comete algumas insanidades pra conseguir ficar em paz com o espelho. Por que será que ficar de bem com sua imagem, às vezes, vira uma guerra absurda? Por que beleza em muitos casos é sinônimo de dor? Juro, não entendo.  Fiquei pensando a respeito disso com os casos de morte ou internação grave após as aplicações do tal de hidrogel pra ganhar mais massa muscular. Muita gente que faz essa aplicação já tem mais músculo definido do que eu vou ter na vida inteira (e, de certo, na próxima encarnação), mas, por algum motivo, isso tudo é insuficiente e acaba na mão de “profissionais” de segunda (ou terceira?) qualidade. De repente, a saúde vai lá pro último lugar só pra ter um bumbum mais duro que bola de boliche. Taí um tipo de prioridade estranha.

O caso do hidrogel é só mais um estranho. Tem também a turma da batata-doce e frango oito dias. Tem a galera das 500 calorias/dia. Tem o pessoal que mal sabe o que é uma caloria – que dirá então um brigadeiro. O maior perigo são os comportamentos extremados, uma coisa militar. Quando você olha blogs e perfis de Instagram fitness, pode se sentir um pecador se comeu um pedaço de chocolate depois do almoço – ou, Deus nos livre, um pãozinho branco, zero integral, e com manteiga derretida. Eu, sempre que caio em um desses perfis, tenho noção de que não precisa ser assim pra ser saudável. Mas e quem não tem?

A loucura pelo corpo perfeito faz você acreditar em absurdos, em médicos que não são médicos, em dietas nem um pouco saborosas e pior de tudo: faz você achar que sofrer é normal. Não é. Quando foi que ter saúde deixou de ser bonito? Quando foi que celulite virou crime ou músculos à la Stallone na época de Rocky se tornou vital? De repente, a saúde é secundária na guerra pela beleza, cujas batalhas são cada vez mais invencíveis. Uma pena.

Partilhar

Nenhum comentário: