terça-feira, 2 de dezembro de 2014

PRATICANDO O DESAPEGO >> Clara Braga

Descobri que não tem coisa mais legal e ao mesmo tempo mais chata e mais trabalhosa do que fazer mudança! Toda e qualquer tipo de mudança é trabalhosa, chata e legal, mas eu estou me referindo a mudança física de endereço. Sair de uma casa e ir morar em outra.

Já morava no mesmo lugar há quase 20 anos, e a quantidade de coisa que acumulei nesse tempo e nem sabia é caso de psiquiatra! Eu tinha consciência de que gostava de guardar coisas que, ao meu ver, talvez fossem desnecessárias. Mas o peso desse talvez não permitia que eu me livrasse das tais coisas.

Cada caixa fechada eram várias histórias que iam sendo lembradas e relembradas. Memórias que eu nem sabia que eu tinha. Mas o desespero batia quando eu olhava para o quarto e ainda parecia que eu nem tinha começado a encaixotar minhas coisas. Uma caixa aqui e outra ali foi rapidamente virando um monte de caixas que continham até livros iguais. É tanto livro que eu já não lembrava mais o que eu mesma tinha comprado, ou seja, acabei comprando de novo.

Não tive dúvida, aproveitei o clima de final de ano, essa sensação de renovação de energia, e decidi praticar a arte do desapego. A última lembrança que eu tenho de um desapego tão difícil de ser feito é de quando eu tive que me desfazer da minha chupeta. Se eu fosse contar nos dedos quantas vezes eu tentei me desfazer da minha chupeta, não caberia. Mas se essa é a última lembrança, já dá para imaginar que essa arte não é das minhas favoritas.

Sacos de 100 litros de lixo foram doados com roupas que chegavam a ser novinhas em folha. Mas claro, como uma boa acumuladora, ainda tenho um daqueles vestidos que a gente guarda para quando emagrecer. Os livros também foram doados. Alguns eu confesso nem ter lido, mas a lista de livros para ler ainda está tão grande que eu preferi deixar que outras pessoas lessem esses livros antes de mim. Depois, se for o caso, pego emprestado com algum amigo ou algo do tipo. A quantidade de sacos de lixo com lixo também foi assustadora! Como alguém pode produzir tanto lixo? Fiquei mais abismada ainda depois de ler a tal notícia que está rodando pelas redes sociais agora, a menina que não produz lixo há 2 anos… preciso passar uns tempos com ela urgente.

Enfim, sei que há uma semana estou morando nesse novo apartamento que ainda não tem muita cara de lar doce lar, já que ainda está lotado de caixas empilhadas. Mas o medo de encarar essas caixas está grande. Sei que ainda falta desapego para ser praticado, mas acho que mais do que eu já fiz é demais para mim, afinal, na última caixa que eu abri tinham fitas VHS com shows do Hanson e uma outra com Lua de Cristal! Quem se desfaz de Lua de Cristal?


Partilhar

Nenhum comentário: