terça-feira, 11 de outubro de 2011

QUE VENHA O DIA 03 DE NOVEMBRO!
>> Clara Braga

Quem está acompanhando sabe que começaram os lançamentos do primeiro livro do Crônica do Dia. Ainda temos alguns por vir e estamos contando com a presença de todo mundo em suas respectivas cidades.

Esse livro tem sido motivo de muita alegria. Alegria para nós, cronistas, para leitores, para as famílias... enfim, é só alegria!

Bom, na verdade... já que estamos tocando no assunto, eu vou falar logo de uma vez. O lançamento desse livro está trazendo também um problema, e eu vou contar para todo mundo para ver se esse problema deixa de ser só meu e passa a ser de todos os leitores.

Eu sou uma pessoa que sofre de ansiedade crônica e também sofro por antecipação. Desde que fiquei sabendo da data do lançamento aqui em Brasília, já fiquei ansiosa. E não é para menos, afinal esse é o meu primeiro lançamento de livro como autora. Mas tem outra coisa que mexeu ainda mais comigo e que tem sido um sofrimento para mim. Em uma das informações que recebi sobre os lançamentos que já aconteceram, fiquei sabendo que os cronistas estão fazendo discursos. DISCURSOS!!!

Bom, muitos talvez não saibam, mas uma das motivações que tive para começar a escrever foi a minha total falta de habilidade para falar em público. Quando tento falar em público, algum fenômeno sobrenatural acontece comigo e, de repente, sem explicação, eu começo a me embolar, falo coisas sem nexo e nada mais faz sentido. Consigo começar falando de um assunto e terminar em outro completamente desconexo sem nem saber como eu fui parar ali. Imaginem uma pessoa assim fazendo discurso... Não dá!

Desde então, venho me perguntando o que devo fazer, talvez um intensivão de algum curso de oratória. Ou talvez comprar um livro, deve ter algum livro sobre isso. Já pensei em avisar que surgiu um compromisso inadiável e que eu não poderei participar do lançamento, mas qual evento seria mais inadiável do que o seu primeiro lançamento de livro? Talvez eu possa assistir alguns agradecimentos da entrega do Oscar no youtube e usar como base do meu; eu agradeço a Deus, aos meus familiares, aos leitores, aos idealizadores do livro e pronto! Mas talvez ganhar o Oscar seja um pouco diferente de lançar um livro, pode ser que o discurso fique um pouco fora do contexto...

Bom, enfim, já pensei em muitas coisas e nada parece ser uma boa solução, então aqui vai minha última tentativa. Eduardo, eu te arrumo uma pessoa que pode fazer a transmissão ao vivo pela internet funcionar e em troca você me autoriza a pegar uma parte do discurso de cada participante do próximo lançamento no Rio de Janeiro e montar o meu para o dia 3 de novembro aqui em Brasília, o que acha?

Me parece uma boa solução. Quem quiser saber como vai terminar essa história, nos vemos dia 3 de Novembro... ou não.

Partilhar

4 comentários:

Eduardo Loureiro Jr. disse...

Bem divertida a crônica, Clara. :) Outra opção é você fazer o discurso por escrito. :) Mas, brincadeiras à parte, eu abro espaço para os autores falarem, mas não é se é obrigado a falar. Apenas 3 ou 4 autores falaram em São Paulo. Fique tranquila quanto a isso. Agora, se você arrumar essa pessoa que transmite o evento... vai ser tudo de bom. :)

Anna Christina Saeta de Aguiar disse...

hahahaha
Leva uma amiga gaúcha, ela fala no seu lugar. É divertidíssimo :P

fernanda disse...

Um consolo: no meio do meu "discurso" em BH, meu cunhado entrou com um bolo e as pessoas cantaram parabéns pra mim (era véspera do meu aniversário). Quer dizer, nada pode ser pior...rs

Bjos!

Marisa Nascimento disse...

Clara,
Adorei a sua negociação com o Eduardo!
Pode ser que você não acredite muito no seu dom de oradora, mas vá em frente na arte de negociar. :)