quinta-feira, 13 de outubro de 2011

PEQUENOS GRANDES AMORES
>> Fernanda Pinho

Mariana se parece comigo quando eu era bebê. Bebezão, na verdade. Eu e ela. Um aninho, com tamanho de três. É um bebê no aumentativo. Não apenas pelo olhão e o pernão herdados da prima, mas, principalmente, pelo sorrisão. Nunca vi Mariana chorar. Sequer vi Mariana com a carinha fechada. É sempre um sorriso largo, revelando seus charmosos dentinhos separados. Quando eu pensei que não teria mais primos, veio essa boneca. Porque ela é uma boneca, se veste como boneca (ok, a mãe a veste como boneca) e sempre leva a tiracolo uma bolsinha cor-de-rosa guardando seus tesourinhos: brinquedos e adereços capilares.
A carinha branca-transparente do Bernardo revela que ele está sempre prestes a aprontar algo. E está mesmo. Bagunceiro, inquieto, cheio de histórias. Gosta de bichinhos. Principalmente do "peixino". Dos "passarinos", ele tem um pouco de medo. Adora colorir e usar as minhas botas. Já aprendi que não devo ir visitá-lo de botas ou serei obrigada a ficar descalça enquanto ele corre pela casa se equilibrando no calçado gigante para suas perninhas. Às vezes tenho vontade de roubar o Bernardo. Eu e minha irmã já planejamos o sequestro. O problema é que sentiriam faltam dele já nos primeiros segundos (sua pequenina presença faz muita diferença) e seríamos as primeiras suspeitas.
Sabe aquelas crianças que fazem várias gracinhas na frente dos pais, mas se intimidam diante dos outros? Isadora não é uma delas. Nada e ninguém intimida Isadora. Nasceu com a vocação de ser atração principal e tem vários números para apresentar. São muitos talentos descobertos ao longo desses quase três anos de vida. Canta, dança, dubla, imita personagens da televisão e pessoas da família. Tudo naturalmente. Sem que seja necessária qualquer insistência, lá está ela a chacoalhar seus lindos cachos. Agora, aguarda com ansiedade a chegada do irmãozinho Miguel.   
Dudu me liga quase todos os dias. Meu telefone é o único que ele sabe de cor. Afinal de contas, eu sou sua melhor amiga. E melhores amigos precisam se falar quase todos os dias. E a gente conversa sobre desenhos, dinossauros e skate. Ele me conta como foi seu dia na escola e depois pergunta como foi o meu. E sempre que eu digo que já não estudo mais, ele cai na gargalhada, achando que é uma grande piada. Se somos melhores amigos, é provável que eu também tenha seis anos. Acho que esse é o pensamento dele, pois fica indignado se me vê tomando cerveja ou — ai, ai, ai — namorando. Vocês não têm ideia de quanta discussão isso já rendeu. Ele fica bravo de verdade, mas depois volta atrás e faz a pergunta de derreter até os corações mais inóspitos: "Nós ainda somos amigos?". Claro que somos, Dudu. Sempre seremos.
Maria é uma princesa. Embora, às vezes, ela insista que a princesa sou eu. Escreveu um livrinho especialmente para mim, com ilustrações e tudo. O nome da história? A Princesa Nanda. Maria adora escrever — tem sete anos e já escreve há três — e, principalmente, adora partilhar seus escritos comigo. Também gosta de ler e isso me enche de orgulho. É criativa, doce e carinhosa. Quando chego em sua casa, tem sempre um abraço gostoso. E, pra me agradar ainda mais, procura em seu armário alguma coisa que se pareça com o que eu estou vestida e troca de roupa na hora. E vem, toda fofa, com aquele sorriso com covinhas, desfilar para mim. E ainda diz que a princesa sou eu.
E, além deles, tem outros também. Outros que eu já não ousaria mencionar num texto sobre crianças ou seria obrigada a me retificar publicamente. São pré-adolescentes, já avisaram cheios de marra. Mas, assim como Mariana, Bê, Isa, Dudu e Maria também fazem parte desse departamento da minha vida onde só existe espaço pra risada, abraço gostoso, olhar verdadeiro e amor puro. Não por um acaso, é o departamento da minha vida que eu mais gosto.


Partilhar

5 comentários:

..DONA DAS BATATAS.. disse...

Não dá nem pra competir com um departamento assim tão VIP! Imagino que o seu dia das crianças aconteça todos os dias :)

Eduardo Loureiro Jr. disse...

Esse "departamento" deveria se tranformar na "loja" inteira. :)

Paula irmã disse...

AMEEEEEEEEEEEEEEEEI ESTA CRÔNICA!!!
Sei bem cada detalhezinho que vc descreveu desses nossos amores...
Vc só esqueceu de explicar que o Dudu não apenas é seu melhor amigo, como te ama como um namoradinho... ♥
Bjooos

Marisa Nascimento disse...

Fernanda,
Que bom que existe uma menina dentro de você. Isso é suficiente para que a vida te sorria sempre.

Carla Dias disse...

Fernanda... É uma delícia viver num universo destes! Há tanta brincadeira e, principalmente, afeto verdadeiro. Lindeza de crônica para fofas pessoinhas.