quarta-feira, 24 de março de 2010

LUCINA: + DO QUE PARECE >> Carla Dias >>

Tudo pode ser mais ou menos do que parece, mas raramente igual. Pode desparecer só para enganar aos distraídos, e depois encantá-los com desvelo.

“A vida é mais do que parece”, dizem os religiosos, os sábios e dizem as avós, enquanto cozem delícias e engolem dolências.

Nesse mais que jamais dá a cara assim, de graça, que pede uma atenção honesta para se despir diante do nosso entendimento, encontramos um sem número de motivos para brincar de despir aparências. Por detrás dos outdoors nos quais nos estampamos para sobrevivermos à rotina, da lógica necessária para que o pão nosso de cada dia esteja na mesa quando os filhos se levantam para o café da manhã, há esse lugar que não pertence à pressa. É da preguiça do observador, da mansidão do interessado, da necessidade do ser humano.

Quando ouvi, pela primeira vez, o disco “+ do que parece”, da compositora, violonista e cantora Lucina, senti-me chegando a esse lugar privado, mas escancarado quando estamos prontos para encará-lo. Esse lugar no qual as sutilezas imperam, onde o sorriso faz a diferença, onde são torneadas a intensidade e a beleza das benfeitorias da vida.

“+ do que parece” vai além de ser um disco. É um apanhado de sentimentos amparados pelo olhar de quem sabe catar poesia no diariamente, de quem dá voz aos desejos, à catarse, às conquistas, aos silêncios inebriantes. De quem não deixa escapar as importâncias.

Em parceria com Zélia Duncan, amiga e co-autora das nove composições que compõe “+ do que parece”, Lucina talha a essência do desaprender o óbvio e buscar o que há por detrás, o além, o logo ali, naquele lugar do outro e de nós mesmos aonde jamais iríamos não fossemos inspirados a fazê-lo. Sendo assim, esse disco nasce como uma inspiração... Das boas inspirações.

As letras são de uma candidez que nos envolve sem pressa. “Seus olhos de jardim pousaram em mim/Seu olhar de floresta/invadiu minha tonalidade modesta de castanho” (Olhos de Marte). Mas tão bela quanto às letras é a voz do violão de Lucina, ritmada, floreando nuanças, pincelando cenários. E a própria voz da artista entra em cena, desfiando a conquista certa do ouvinte.

“+ do que parece” é um disco muito bem executado, com músicos afinados e composições belíssimas. Vale se permitir conquistar por ele. Lucina é uma artista que vem contribuindo com a música de uma forma muito especial. E que assim continue.

Meu amor, você sabe


Trechos do show + do que parece






Partilhar

Nenhum comentário: