segunda-feira, 8 de março de 2010

O DESAFIO DO PRIMEIRO TRABALHO ACADÊMICO
>> Maurício Cintrão

Voltar a pesquisar com o compromisso do registro acadêmico é muito diferente do escrever jornalístico. A afirmação parece óbvia, mas só parece. Muitas pessoas olharam para mim com espanto quando eu disse que estava com dificuldades para escrever a reflexão-síntese entregue no último sábado.

No geral, a expressão era “justo você com problemas em texto?”. É como se a intimidade com a escrita resolvesse qualquer desafio de texto por escrever. No mundo real não é assim. Dependendo da modalidade, o texto é um parto sem anestesia. Há situações em que o neném só sai a fórceps, porque não dá mais tempo para a cesariana.

O texto ao qual me refiro era um “dever de casa” sobre a disciplina “Legislação e Culturas Populares”, um dos módulos de minha pós-graduação em Cultura Popular Brasileira. O resultado ficou interessante, bem diferente do que eu desejava, mas melhor do que eu temia. Vamos aguardar a avaliação do professor, que vai dar prumo para essa prosa. Mas fiquei feliz por ter conseguido entregar no prazo.

Também fiquei contente porque comecei a desenferrujar o raciocínio. Isso é muito importante, especialmente nestes tempos de embotamento da memória e da capacidade de refletir. Seja pela falta de exercício, seja pelos efeitos da idade, eu andava meio lento, feito TV a válvula.

Para quem não conheceu, o televisor a válvula dos primórdios da TV demorava um bocado para ligar (precisava “esquentar”) e apresentava toda sorte de problemas. A imagem desestabilizava com frequência.

Para assegurar a qualidade da recepção do sinal da TV era preciso usar botões que controlavam “Vertical” e “Horizontal” no aparelho. É difícil explicar isso nos tempos em que se assiste TV no telefone celular, mas era como se a imagem vestisse pijama de vez em quando e ficasse com soluços, pulando. Um horror. Tudo branco e preto, aliás.

Não estou tão mal assim. Pelo menos sou colorido. Mas a capacidade de lembrar é prejudicada feito sinal de TV antiga. Na medida em que o tempo passa, parece que os lapsos tornam-se mais comuns. Será que é só falta de prática? Não sei, vou colocar essa tese à prova daqui para a frente, com a infinidade de artigos, apostilas, livros e documentos a ler, analisar, assinalar e citar em meus próximos textos.

O fato é que passei por grandes apuros para redigir o primeiro texto acadêmico e isso eu não vou esquecer. Feito o sutiã da adolescente na propaganda do passado*, o primeiro desafio acadêmico a gente nunca esquece.

(*) filme comercial de TV criado em 1987 pela então W/GGK, depois W/Brasil, do publicitário Washington Olivetto para o fabricante de sutiãs Valisére. É um dos comerciais com o mais alto índice de lembrança entre telespectadores da época, até entre velhinhos como eu (rs). Para saber mais, vale ler a monografia “Uma análise dos recursos persuasivos do comercial: ‘o primeiro sutiã’ da empresa Valisère”, de autoria de CINTI, Paulo; FONTANEZZIi, Renata M. M. e VIEIRA, Lucas M.

Partilhar

3 comentários:

Stefânia SJC disse...

É mau escrever é assim. Eu coloquei como lema: 3 laudas por semana, 1 treino diário de corrida de segunda a sexta, 1 corrida por mês (até chegar a S Silvestre). O mais difícil tem sido as 3 laudas semanais para parir meu texto do exame de qualificação para terminar o doutorado... Comecei a escrever ensaios e percebi que se eu juntasse todos os meus posts em blogs de esportes eu já teria volume suficiente pra qualificar kkk

Eduardo Loureiro Jr. disse...

Oi, Maurício! Adorei o efeito colateral do primeiro texto acadêmico: uma crônica do dia depois de tanto tempo. :) Ressuscitou a saudade. :)

TIO BETO disse...

é...
Meu texto , vc pode trocar por uma bela e gelada Bohemia!
Parabéns pela iniciativa em fazer o seu Pos.
Abraços
PS... Sou mais a maninha caçula indo pras Europas com a tia Landinha!!!!
eheheheheheh
PS2 Continuo atravessando a rua ao passar por uma escola!!!