Pular para o conteúdo principal

PAI DE NOVO >> Sergio Geia


Estou aqui na minha toca — jargão cunhado pelo Marcelino Freire para identificar o cantinho do escritor, o lugar em que ele reúne seus livros, seus textos, suas inspirações — pensando, e concluí que é hora de compartilhar. Vem aí o “folha vadia”, meu novo rebento. Que venha com saúde, com inspiração, com fluidos de encantamento, como um amigo seu para todas as horas. Oxalá, meu pai! 

Ele sairá pela Editora Matarazzo. Capa da Camila Giudice. Revisão do João Cláudio Guarnieri. E do que trata esse livro?, vocês podem estar aí se perguntando. Crônicas. 30 crônicas publicadas em veículos como o “Crônica do Dia”, o “Jornal de Caruaru”, o “Matéria-Prima”, a “Gazeta”, entre os anos de 2014 e 2019. E detalhe: algumas inéditas. 

O processo de escolha foi doloroso. Após muito trabalho, fiz uma primeira seleção com 60 crônicas, muitas delas com preciosos feedbacks de vocês. Imprimi. Espiralei. Dei para a Andréa Pristupa ler. Dei para a Marinês Santos ler. Marquei um chopinho com a Andréa e obtive as suas impressões; idem com Marinês, sem chopinho. Trabalhei mais um pouco, enxuguei, incluí, excluí. Fiquei com 50 crônicas numa segunda versão e também 50 numa terceira. Até que cheguei à versão final, com 32 crônicas. Imprimi, espiralei, guardei na gaveta. Alguns meses depois, coloquei o livro na mochila, exorcizei os fantasmas, espantei os maus-olhados, incensei a casa e fui pra DonaBella entregando-me uma manhã para fazer a releitura. Excluí mais duas, substituí outras três, fechei com 30. Tava pronto. Ufa!

O título vem de uma passagem do conto “Sargento Garcia”, do Caio Fernando Abreu, e também dá nome a uma das crônicas. Sabe aquele sentimento bom que bate na gente de vez em quando depois de uma vitória nesses embates do cotidiano? Pois o Caio diz nesse conto que a gente sai andando tão feliz, mas tão feliz da vida, que nosso passo é uma folha vadia dançando na brisa da tardezinha. Achei o máximo. 

Se tudo correr bem, lanço “folha vadia” em novembro, num bar, aqui em Taubaté. O “Confidências”, meu primeiro livro, eu lancei numa livraria, evento formal, ao qual vocês compareceram em peso, as fotos aqui não me deixam mentir. Agora quero um bar, mais informal, mais vadio, digamos assim. Vão se planejando aí, coloquem na agenda. O encantamento que quero proporcionar com essas crônicas escolhidas a dedo é diretamente proporcional ao encantamento que vocês me trazem sempre que publico, comentando nas páginas, no face, no zap. Ah, como preciso de vocês! 


Comentários

branco disse…
serginho, como sempre uma surpresa. muito bom saber que vai lançar um novo livro e como tenho "aquela pastinha" no meu pc com algumas crônicas sua posso garantir.: o livro já é bom!
desejar sucesso, , felicidades pelo lançamento é um pouco formal e forçado, acredito que assim como eu, alguns termos como "pqp Sérgio isso é demais" ou até mesmo algumas mensagens secretas e tímidas dizendo que "foi muito bom ter lido" já nos deixa satisfeitos e em plenitude. que venha e que a prole seja grande !
Unknown disse…
Fala meu amigo! Parabéns pelo novo filho. Muito boa a idéia de se fazer num barzinho, mais informal! Desta vez estarei marcando presença para poder prestigiar mais este 'filho' que terá muito sucesso. E por falar em Sucesso é o que te desejo sempre!
Sandra Modesto disse…
Crônica que me deixou embriagada. A ideia do local do lançamento desse filho é tudo! Parabéns pelo texto. E já quero o livro. Abraços.
sergio geia disse…
Branco, amigo, grato pelo carinho das palavras. Não tenha dúvida, a reação dos nossos amigos-leitores é tudo. Ah, tenho uma prima, a Roseli, você deve conhecer, que leu seu comentário e se emocionou; não só pelas palavras, mas por você me chamar de Serginho rsrs. Eu disse que muitos amigos daqueles "velhos tempos, belos dias" me chamam assim. Grande abraço!

Amigo: obrigado pelas palavras. Mas quem é você? Me fale! Zapeia aí. Tenho suspeitas rsrs

Sandra: Não tenha dúvida que essa "folha vadia" vai chegar aí em Ituiutaba.
Darci Siqueira disse…
Sucesso amigo! essa é a palavra mais certa que encontrei para definir seu novo livro; afinal, suas crônicas e suas histórias já são nossas. Grande abraço.
sergio geia disse…
Querido Darci. Obrigado pelas palavras. Será um livro delicado, nada polêmico como o outro, um companheiro para todas as horas, pode apostar.
Brasilino Neto disse…
Amigo e especial Escritor Sérgio Géia, num dia frio como o de hoje, esta notícia aquece meu coração. Que boa notícia! Como você disse, no primeiro lançamento, "Confidências de um Sacerdote", diga-se, muito legal, foi formal em uma livraria, pude, com felicidade, está lá. Vou deixar a agenda aberta para, qualquer que seja a data, possa conhecer esse "novo filho" e, quem sabe, fazer a consagração ao "som" de um chopp bem gelado, qualquer que seja a temperatura do dia. Fraterno abraço.
sergio geia disse…
Amigo Brasilino, obrigado pelas palavras. Espero estar com o senhor tomando um chope bem gelado e conversando sobre o que mais nos estimula: literatura. Grande abraço!
Carla Dias disse…
Parabéns, Sergio! Que o rebento venha pra ganhar o mundo. :)
sergio geia disse…
Obrigado, Carla. Que os nossos ganhem o mundo!
Zoraya Cesar disse…
que alegria, Sergio, para o mundo, receber assim, de mão beijada e beijada, uma compilação das suas crônicas das pequeninas coisas. Mestre Rubem Braga deve estar feliz em te ver jogando folhas vadias ao mundo, tão carente de se importar com as pequeninas coisas. Quero meu exemplar. E conte sempre com meus comentários e admiração.
Albir disse…
Que notícia boa, Sergio! Aguardando aqui.
sergio geia disse…
Essa folha esvoaçante vai viajar até o Rio, podem esperar amigos Zoraya e Albir. Grato.