ACORDA, MENINO! >> Albir José Inácio da Silva








                                                       Imagem encontrada na internet



O que diz o menino que dorme na praia? Talvez fale dos perigos do mar, da displicência dos pais. Ou de um assassinato a ser esclarecido.

Mas é só um menino. Não deveria nos dar esta sensação de naufrágio da humanidade. Há dias, não adianta acusar governos, etnias, religiões, porque a falta de ar não cessa.

É lágrima que não pinga, não seca nem escorre. É mais que um cadáver, é um assombro, uma dor insepulta de que tentamos nos livrar.

E ainda suspeitamos de nós mesmos. Em nome dos deuses fazemos coisas que até o diabo duvida. 

Duvida e se defende, dizendo que não chegaria a tanto, embora comemore o resultado.

Queríamos não ter visto nem sabido — maldito fotógrafo, maldita web e maldita imagem que, mesmo escorraçada da memória, dorme no tapete da sala e à noite repousa no nosso travesseiro, naquela pose mesma que o mar beijava.

Fica-nos a sensação de que Alá deu de ombros, Jeová lavou as mãos e, embriagados na bacanal do Olimpo, os outros também ignoraram o presente de grego numa praia do Mediterrâneo.

Enquanto isso, no Hades, dançando e atualizando Castro Alves com outras infâmias no mar, ri-se Satanás.



P.S.: Esta crônica integra o projeto "CRÔNICA DE UM ONTEM" e foi publicada originalmente no Crônica do Dia, em 07/09/2015.

Comentários

branco disse…
albir!!!!
existe crônicas de um ontem e existem crônicas de ontem e existem as que permanecem. penso que este ultimo seja o caso desta, que (pecado meu) só li agora.
no final a triste constatação, independentemente de tudo, somos todos meninos dormindo na praia.
Carla Dias disse…
De uma tristeza profunda. De uma beleza ímpar.

Postagens mais visitadas deste blog

LUGARES ONDE NUNCA ESTIVE >> Carla Dias >>

Vizinha Fake News >>> NÁDIA COLDEBELLA

DISCRETO GALEIO >> Sergio Geia