PEQUENAS FARSAS >> Cristiana Moura

Fazíamos uma caminhada, um colega e eu. Ele disse: — vamos por aqui e pegamos um atalho. Não íamos ao trabalho ou a um passeio. Tratava-se de atividade física. Caminhada em si mesma. Atalho? Estranhei.

Na tarde do mesmo dia, a nutricionista orientou-me a tomar café descafeinado.
— Doutora, mas o que eu quero é a droga. É para acordar. — O descafeinado serve, efeito placebo.

Meu filho toma leite sem lactose, dos de soja. Leite é produto animal e de mamíferos. Soja não dá leite, não, não dá.

Antes de sair, pela manhã, disfarço as olheiras que moram comigo com corretivo entre outras maquiagens que me constroem a face e colorem meus sorrisos.

Na última quinta-feira, me peguei tomando um café (cafeinado mesmo) após o almoço. O cafezinho neste horário me ajuda com a dieta porque me serve de sobremesa. Este em especial acompanha três gotas, bem pequenas, de chocolate com menta. Um pedido feito assim: — um expresso, por favor! Não há de ser computado na dieta como sobremesa.

Fico aqui pensando quantas mais pequenas farsas compõem, disfarçadamente, os cotidianos.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

SETEMBRO DE MANHÃ >> Sergio Geia

MELANCOLIA >> whisner fraga

FEIJOADA NO SIMEÃO >> Sergio Geia