Pular para o conteúdo principal

O QUE VOCÊ FARIA? >> Clara Braga

Se você pudesse encontrar um ente querido que faleceu, o que você diria a ele? Já pensou nisso? Eu sempre achei que não conseguiria falar nada, morro de medo dessas coisas de ver gente que já morreu, isso não é comigo. Minha família provavelmente acha isso vergonhoso, já que eu sou espirita, mas todos os espíritos que já tiveram a oportunidade de ouvir uma oração minha sabem muito bem: aparecer para mim jamais!

Outro dia eu sonhei com o meu falecido avô. Um sonho muito bonito, ele estava entre todas as pessoas da minha família, observando a gente conversar. Posso dizer que o sonho trouxe um certo conforto, uma vez que meu avô estava muito bem e muito feliz. É sempre bom quando as pessoas do nosso sonho passam essa tranquilidade de quem está feliz, principalmente quando a pessoa é alguém que a gente ama. Parece até que a pessoa aparece no nosso sonho de forma proposital para avisar que está bem.

Porém, como nem tudo são rosas, no sonho eu era a única da família que via meu avô, justo eu, a medrosa. Então, eu começava a chorar emocionada e falava para todos que ele estava entre nós. Foi só eu falar isso que começou a pressão familiar para eu falar com ele, perguntar algo, dizer algo, qualquer coisa, mas tentar contato.

Com certeza eu não fui a melhor escolha para trocar uma ideia com o vovô. Após pensar muito no que dizer, tudo que saiu foi: "Vô, eu amo muito o senhor, mas, por favor, nunca mais aparece pra mim, tá bom?"

E assim acabou meu diálogo com meu avô onze anos depois dele ter partido. O que não faltou foi tempo pra pensar no que dizer, mas na hora "h", isso foi tudo que saiu… Seria trágico, se não fosse cômico… 

Comentários

Ana Braga disse…
Contou isso pra todos da família? Eles te enforcaram? Clara você está aí? Bj Tia Ana
É, Clara... Com esse pedido, agora é você que terá que aparecer para seu avô. Mas eu espero que ainda demore MUITO tempo, para que a gente possa continuar aproveitando esses textos simples e gostosos de ler. :)
Zoraya disse…
hahaha, Clara, só mesmo um espírita muito corajoso para confessar que tem medo de sua matéria prima de trabalho! ri demais