quarta-feira, 26 de novembro de 2008

NOTÍCIA BOA >> Carla Dias >>

Eu tenho uma notícia boa, mas vou guardá-la por mais um tempo. Sempre fui guardadora de notícias boas, de ficar ruminando a dita até onde fosse possível.

A notícia boa chegou numa hora não tão boa, então tudo ficou mais leve. Notícia boa tem esse poder, não? Além do mais, ontem troquei de canal e assisti pela sei lá quantésima vez o mesmo episódio do seriado Friends, ao invés de assistir ao canal de notícias. As notícias por lá andam tão ruins que me deu vontade de rir à toa, só para lembrar como é isso. Friends me faz rir à toa... Não me canso de assistir.

Vocês já assistiram Alice, série brasileira da HBO? É boa... Muito boa.

Mas hoje não estou aqui pra falar sobre séries de televisão (mas me deu vontade, viu?). Estou aqui porque tenho uma notícia boa que dividi somente com poucos amigos, porque tenho medo de que ela evapore. E ela não é boa só porque é e pronto!

É boa porque chegou numa hora em que tudo só me escapava. Fosse criança, minhas irmãs diriam que ando com a mão furada. Já fui mão-furada profissional, sabe? Adulta, posso dizer que ando com a alma furada e, sabendo que adoro me profissionalizar...

Mas a notícia boa ainda é boa e concreta, ao menos por agora. Até eu conseguir transformar a notícia em fato. Aí pode ser que ela se prolongue um pouco mais.

E quem não gosta de prolongar sensação que notícia boa desperta?

Há muito tempo eu não recebia notícia boa; já nem sabia que cara ela tinha. Vinha estudando, detidamente, as notícias não tão boas, e as ruins, por certo, nunca faltaram. Mas eu me dei conta de que essa contemplação me fez praticamente esquecer como é receber uma notícia boa. O que é uma pena, porque posso muito bem ter passado batido por várias delas, tão distraída estava com seus avessos.

Agora, tenho de ir cuidar da tal notícia boa. Dar de beber, de comer, encontrar um lugar pra ela dormir. Fazer vingar, que não basta recebê-la, de braços abertos. Para que esse tipo de notícia boa seja boa mesmo, temos de dar com a língua nos dentes e celebrá-la.

Então, voltarei aqui pra gritar pra vocês que notícia boa é essa, mais adiante. Quando ela florir de vez.


Imagem: Jim do www.unprofound.com


Partilhar

3 comentários:

Paula Pimenta disse...

Ei Carla! Que notícia boa saber da sua notícia boa! Mas fiquei curiosa! Tomara que ela amadureça logo pra você contar pra gente! Eu também sou bem supersticiosa, só conto minhas notícias boas depois que elas já são certeza!

Beijo!

Eduardo Loureiro Jr. disse...

Subtítulo da crônica: "como dizer sem dizer". Mas alegria a gente sente até assim, disfarçada. :) Cuide bem de sua boa notícia como cuida bem de suas crônicas.

Anônimo disse...

Amei a crônica!!! tem um "que" de alegria. Notícias boas sao bem vindas...bjo