segunda-feira, 31 de dezembro de 2007

2008 - Um Ano Guerreiro >> Claudia Letti

A Roda da Fortuna, cores vermelha e marrom, planeta Marte, Ogum, Xangô e Iansã, Números 1 e 10, Rato no Horóscopo Chinês. Tudo isso vai simbolizar, reger, orquestrar os dias de 2008, um ano em que dançar conforme a música não parece ser a atitude mais apropriada, exceto, é claro, se você for um exímio dançarino. Com todo respeito e admiração pelo Mestre Pagodinho, deixar a vida nos levar pode ser um enorme desperdício.

Marte pede novos começos, inícios, colocar a coragem, a ousadia e a vida em movimento no trabalho, num empreendimento, num relacionamento ou num hobby. Este não será um ano para ficar comendo mosca ou para investir tempo e paciência em projetos aposentáveis. Deixemos o comodismo para anos menos animados. A hora é agora, urgente, impulsiva, assertiva. Pra quem gosta de pesar os prós e contras de qualquer decisão antes de dar um passo adiante, 2008 talvez apresente um dos 10 raios da Roda da Fortuna, a carta do Tarot que pode girar e virar a vida de ponta cabeça, pedindo atitudes, esteja você munido de coragem ou não. O Deus da Guerra exige que você lance seus dardos e quanto menor o medo, maiores a chances de acertar o alvo.

Irritabilidade e impaciência podem ser manifestos no seu dia-a-dia e se você não gosta de ter arroubos temperamentais, é melhor não ficar pensando na morte da bezerra porque, do contrário, essa energia bruta que comandará o ano, vai dar um jeito de irritá-lo de algum modo, pra que você dê a partida e arranque. Arrancar, aliás, é a palavra de 2008.

Se na astrologia ocidental Marte quer anunciar guerra, na oriental, os chineses creditam a um ano de Rato, um tempo de abundância e de boas perspectivas para os negócios de um modo geral. O horóscopo Chinês afirma que um ano de Rato é propício à paz e tece um tempo onde as catástrofes acontecem em menor número. Mas, quem disse que Marte não quer a paz especialmente se através dela se pode vencer?

Marte pode estar apenas nos pedindo por uma batalha interna, uma mudança de atitude que levará a execução de sonhos, de objetivos, de modo a se sentir recompensado, reconhecido, realizado.Trocando em miúdos, vencer nossas lutas internas sempre tem um sabor de vitória. É como declarar guerra à falta de atitude para atingir a paz de espírito. De todo modo, Rato e Marte concordam que os empreendimentos iniciados em seus anos de regência tem mais chance de sucesso. Que assim seja!

Ogum (o velho e bom São Jorge da Igreja Católica), um dos orixás regentes de 2008, segundo a Umbanda, tal como Marte, igualmente estimula a combatividade, a liderança e a agressividade. Iansã, a Deusa dos Ventos, suscita coragem e impulsividade. Xangô, outro regente umbandista, influencia as atitudes enérgicas acompanhadas de um bom tom de autoridade. Autoridade e liderança são vibrações do número um (2+0+0+8=10 =1), que também aguça a capacidade intelectual, a inteligência e a disposição de assumir riscos. Xangô ainda fortalece os estudos e as pesquisas e é também a imagem do sábio, da justiça que um dia chega. Justiça é a carta de Tarot representada pelo número 8... E, enquanto estou escrevendo esta crônica e os símbolos tem conexões tão claras entre si, fico pensando que não dever mesmo ser por acaso.

Podemos acreditar em tudo isso ou simplesmente ignorar como bobagens "esquizotéricas". Como não sou taróloga, numeróloga ou umbandista, pesquisei sobre os regentes e as cartas por pura curiosidade. Não sou expert em previsões, mas gosto desses ventos que sugerem mudança, melhora, abundância. Felicidade. Talvez 2008 seja um ano pra isso mesmo, pra exercitar a curiosidade, ser criativo, ousar um primeiro passo, não olhar pra trás e, sem deixar a vida nos levar, tratar de assumir logo a frente de combate.

Bem, se pra você Marte é apenas um planeta, um rato é somente um roedor, um Orixá não lhe diz muito, um Arcano é uma carta e um número não passa de um número, então, definitivamente somos os senhores do nosso destino e podemos determinar quando e onde seremos felizes. Pode ser cantando Ben Jor, vestido e armado com as armas de Jorge ou cantarolando Gonzaguinha, afinal guerreiros são fortes, são frágeis, são meninos -- como esse ano novinho, criança, brincando de dar seu grito de guerra.

Se for apenas isso, simples assim, que seja um grito claro e cheio de energia pra encher e preencher esse 2008, esse ano guerreiro, com muita alegria.

Saúde!

Partilhar

12 comentários:

Eduardo Loureiro Jr. disse...

Se esse ano guerreiro está associado a crônicas de Claudia Letti, já estou gostando desde o início. :)

Bom lê-la! Bom 20-08!

r a c h e l disse...

Ay me. E eu continuo cada vez mais fã do que você escreve. Nos vistamos com as lanças e as armas de Jorge e esse ano a gente lança o curso à altura das estrelas e eu amordaço um príncipe que tenha um quê de sapo (e não o contrário).
Quero um grito de guerra. A gente inventa inventado ou tem dica pra você nos passar?

Beijo querida, parabéns, amei o texto.

Your Soul disse...

Sou cada vez mais sua fã!

beijos querida

Sil Curiati disse...

Clau querida,
Já tinha lido seu email, mas esperei ter um tempinho para ler a crônica com tranqüilidade.
Que maravilha! Bom saber de tudo isso - fora que CONFIO cegamente em suas previsões, deram muito certo pra mim!

beijo grande, e um ano de alegrias!

Lu disse...

acho que essa sua crônica era exatamente o que eu tava precisando ler hj, Clau...

beijos!

Julia disse...

Não te conheço, nem conhecia seu blog e suas palavras. Amei.

E vale dizer aos céticos: desqualificar tanta concidência (que ao meu ver, é algo que não existe!) pode ser só um escape às dicas que o universo nos dá pra ajudar a tocar a bola.

Arranquemos!

palpi disse...

Oi, xará! ;) Eu acredito em tudo isso e mais alguma coisa, afinal, tudo é energia. Adorei seu texto. Para quem não entende do riscado, saiu-se muito bem e deu um belo recado.
Desejo um 2008 de muito sucesso pra vc também. Que Jorge nos ilumine.
Saúde, paz, amor e muita luz.
Beijo

adelaide amorim disse...

Claudia, saudade docê.
Melhor acreditar em boas previsões - ou será isso um novo nome pra esperança? :)
Adorei a crônica.
Beijo e bom carnaval, menina.

believeinlove disse...

ola Claudia, conheci seu blog por acaso,adoro ler suas cronicas,voce escreve com um estilo lispectoriano,um jeito vivo e intenso de expressar se.parabens!
Sua cronica sobre 2008 e excelente. Me identifiquei com as previsoes. Tenho intuido que este ano e dos guerreiros.

bjo grande e muita luz em seu caminho

Mari

believeinlove disse...

ola Claudia, conheci seu blog por acaso,adoro ler suas cronicas,voce escreve com um estilo lispectoriano,um jeito vivo e intenso de expressar se.parabens!
Sua cronica sobre 2008 e excelente. Me identifiquei com as previsoes. Tenho intuido que este ano e dos guerreiros.

bjo grande e muita luz em seu caminho

Mari

Leonardo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Luiz Carlos Beck disse...

Por acaso mexendo na net cai nesse texto, é como se eu estivesse escrito, não sou nada, mas sinto como se pudesse falar sobre tudo, meu problema é não saber escrever parabolas tortas, como esse seu texto, simplesmente maravilhoso.
Que assim seja.

Namaste