Pular para o conteúdo principal

2013 — MUDANÇAS NO AZUL >> Claudia Letti

Saturno, o Senhor do Tempo e do Karma, é o regente astrológico do ano que vem chegando aí. E vem pedindo responsabilidade nas mudanças que pretende provocar. No signo de escorpião, nada escapará deste planeta severo. Sabe aquela sujeirinha, aparentemente inofensiva, que foi varrida pra debaixo do tapete? Levanta, sacode a poeira e não poupe na faxina geral para não ter que passar por constrangimentos logo mais. Saturno também promete boas colheitas para quem soube plantar. Ainda não plantou? Melhor começar seu cultivo sem demora e com desapego. E siga o ano com paciência, (outro mote de Saturno), que os frutos podem estar onde menos se espera.

Entrar o ano de Azul, na virada, pode ser uma ótima ideia, dizem os entendidos em Feng Shui. Não por acaso, Azul também é cor de Yemanjá, a Rainha dos mares, que junto com Obaluayê, vai reger o ano de 2013. Tudo azul para as mudanças e transformações com sinal verde para a cura de muitos males e epidemias. E mesmo que o tom soe otimista, não podemos esquecer que mudanças nem sempre acontecem sem alguns desapontamentos nas reorganizações/reciclagens que provocam. Bem, podemos encarar como parte daquela faxina sugerida por Saturno, certo?

Para os românticos e que ainda esperam por um grande amor, este pode ser "o" ano. É o que promete a Serpente que rege o ano no Horóscopo Chinês: sorte certa no amor. Desde que -- será que ela sabe dos desígnios de Saturno? -- se tenha paciência e planejamento. Romance para os solteiros e estrutura para os comprometidos -- para aqueles que tiverem calma e não se deixarem levar por arroubos. Parece complicado se adaptar a um temperamento tipo blasé? Relaxe. Com a ajuda do 6, o número maestro de 2013 e que dá a tônica para os assuntos do coração -- amor, família e amigos --, tudo deve correr mais fácil.

O mesmo número 6 no Tarot é representado pela carta do Enamorados/Amantes que, confirma as nuances para o ano e, se dispensa maiores explicações, também adverte: decisões precisam ser tomadas com (muita!) responsabilidade, sob pena de cometermos rupturas prematuras. Rupturas devem fazer parte daquela faxina citada lá no início e não podemos esquecer que a vida vem em ondas, como diz a canção. Mas podemos perseguir o alívio e não a dor como consequência de qualquer ruptura que desejarmos fazer. Pra isso, paciência (olha ela aí de novo!) e planejamento operam milagres.

E pra não dizer que não falei das flores, a pedida para 2013 nesses assuntos em que Saturno dá o tom e os Enamorados a direção, um bom floral é Holly de Bach, que promete trabalhar os tais arroubos amorosos, dissolvendo mágoas e medos pra deixar o amor irradiar. Para as opções que precisam ser feitas, o floral campeão é o Scleranthus, também de Bach, que vai ajudar a escolher sem oscilação, especialmente se for entre duas alternativas. Quem garante é a floralista Angela Scott Bueno, que indica ainda o floral Spreading Phlox, uma ajudinha no ano da Serpente para se aproximar do seu amor -- 'spreading phlox' é conhecido como o floral da alma-gêmea --, o floral Impatiens que traz paciência e calma mental necessárias para o qualquer planejamento e o floral Borage para "equilibrar as forças de Saturno na alma, transformando pesar em luz e força para o coração". Lindo, né?

Tudo isso -- e muito mais que isso! -- pode dar o tom do seu ano, se você acreditar, é claro. O importante mesmo é que somos uma tela onde cada dia é uma nova pincelada e a mistura das cores com o estilo de cada um, é que faz da nossa vida uma obra de arte. Pulando 7 ondas, usando as cores do ano, jogando arroz pra Yemanjá, brindando com o melhor champanhe ou com o mais despretensioso refrigerante, o que importa é andar com fé -- esta sim, não costuma e não pode falhar.

Um ótimo 2013 para todos nós. Com tudo Azul!

Comentários

Marco disse…
Beautiful Cláudia. Tenha um excelente 2013 e muita sabedoria.
beijo.
Marco...
Anônimo disse…
Que delícia, disse tudo!!!
Feliz Ano Claudia. Vamos, oque importa é andar com fé -- esta sim, não costuma e não pode falhar.
Que as serpentes nos proteja.
Bjsss. Monica
Eliane disse…
Vou acrescentar um "azulzinho" na minha roupticha de Reveillon.
Já começei a arregaçar as mangas. Com muita paciência.Saturno no meu Escorpião , vem que vem.
E para dar força e tranquilidade, já vou providenciar meu floral!
O resto...com fé eu vou, que a fé não costuma falhar!
Beijo grande para você linda! Saudades.
Cristina Schwinn disse…
Fé, esperança e paciência para a colheita do bom plantio... eis a síntese! Lindo!
Lu disse…
que delícia de texto, clau! <3
albir disse…
Com um oráculo destes tudo tem que dar certo. Beijos, Cláudia.
Claudia Letti disse…
Marco, 'beautiful' somos nós tentando felicidade em cada dia, aposto! :) Beijo grande e saudade de você.

Mônica, que bom ver você por aqui (venha sempre, este espaço abriga escritores bons demais da conta!). Beijo!

Eliane, com a sua energia, até Sarurno vira sol! :) beijo, lindona!
Claudia Letti disse…
Cristina, você pegou o espirito do ano; :) beijo carinhoso pra você!

Lu, não vale: você é sempre tendenciosa a meu favor, rs

Albir querido,já deu certo, tá sentido? Beijo!

Postagens mais visitadas deste blog

MÃE – A MINHA, A SUA, TODAS
[Debora Bottcher]

Pessoalmente, não gosto de escrever sobre ‘datas especiais’ porque sempre me pergunto quem foi que inventou esses ‘dias de’ e baseado em que. É que apesar de eventuais evidências, eu me recuso a crer que essa ‘mágica’ idéia resiste ao tempo, à modernidade, às novas gerações, fincada apenas no foco de atiçar as vendas do quase-sempre-em-crise mercado comercial – digo ‘quase’ porque todas as vezes que vou ao shopping, em qualquer dia da semana, assombro-me com o movimento constante. Daí não tenho certeza de entender bem a base dos números e imagino sempre que é porque as estimativas são ousadas e otimistas demais, muito acima do poder aquisitivo da população média.
Seja como for, se me proponho a abordar o tema do momento – o ‘Dia das Mães’ - prefiro direcioná-lo à figura materna diretamente, para quem, certamente, tal dia é apenas uma vírgula no traçado de sua (árdua) trajetória. Não sou Mãe – que fique claro; portanto, para dedilhar (vagamente) sobre elas, vou me basear na minha, nas m…

EU ESTOU BEM >> Sergio Geia

Digamos que foi um susto. No último dia 11, eu voltava de Jacareí sentido Taubaté, seguia o fluxo normalmente quando no km 156 da Via Dutra, bem em frente ao posto de guarda, em São José dos Campos, os carros à minha frente — como em Blecaute, de Marcelo Rubens Paiva —, simplesmente congelaram. De 80 km, naquele trecho, para zero, em fração de segundo. Não tive tempo de rezar (ah, como eu queria!), nem sequer olhar pelo retrovisor, descobrir se havia ou não uma carreta atrás de mim. Quando a ficha caiu, pisei fundo no freio, consegui não atingir o veículo à minha frente, mas, também, só por outra fração de segundo. De repente, uma sensação esquisita: eu senti a estocada, os objetos que estavam em cima do banco do carona voaram, logo meu veículo era arrastado até atingir o da frente.

Desci. Os motoristas dos outros quatro carros desceram, todos confusos, querendo entender. Os três primeiros carros, incluindo o meu, pequenos danos materiais, levíssimos diante do susto. O penúltimo e o …

À DISTÂNCIA (Paula Pimenta)

E se quiser recordar daquele nosso namoro
Quando eu ia viajar você caía no choro Eu chorando pela estrada Mas o que eu posso fazer Trabalhar é minha sina Eu gosto mesmo é d'ocê...
(Vital Farias)

Quem nunca namorou de longe, não vai conseguir entender metade do que eu vou escrever nessa crônica, porque só quem já passou por essa experiência sabe o quanto ela é difícil. Mesmo assim vou tentar explicar, para todas as vezes que vocês se depararem com alguém reclamando da ausência do namorado, não começarem com as manjadas frases que não fazem nada pela pessoa solitária: “Ah, mas pelo menos quando vocês se encontram tudo é festa, nem tem tempo pra brigar.” Ou: “O tempo está passando rapidinho, logo o próximo feriado chega.” Ou ainda: “É bom que no período que ele está longe você pode curtir com os amigos.”

Só quem namora à distância sabe o quanto essas frases são mentirosas. O tempo não está passando rapidinho, pode até passar pra quem está com o namorado do lado, podendo ir com ele ao cinema …