quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

A TORCIDA MAIS LINDA É FIEL>> Mariana Scherma


Vendo a festa dos corintianos no Japão, eu não me segurei e liguei para o meu pai só pra avisar que a maior herança que ele me deu foi o amor pelo Corinthians. Já peço desculpa aos outros torcedores e aproveito pra dizer que esse texto é puro amor pelo timão, quer dizer, pela torcida do timão. Sei que tem muita gente que torce o nariz para os corintianos e sei também que nenhum fanatismo faz bem. Mas não posso deixar de admirar um bando que vai junto acompanhar o embarque do time do coração, que faz churrasco no meio do caminho e vira amigo de infância de qualquer um que tenha a marca alvinegra no coração.

Nem me importo tanto se o Corinthians ganha ou não do Chelsea no domingo, mas isso eu digo por mim – sei que minha vida vai continuar igual. Agora, pela torcida, sei que vou roer a unha, sei que vou andar de um lado para o outro durante o jogo, sei que vou sofrer um pouco. Ou muito. Porque eu detesto assistir aos corintianos sofrendo. Independentemente da conta bancária, corintianos acabam sendo iguais no amor – e isso posso falar por mim: é um dos amores mais bonitos, mais fiéis, mais engraçados. Milhares de brasileiros foram ao Japão pra ver, pra dar força, pra fazer o papel de 12º jogador e, se não fosse o excesso de casacos por conta do frio, eu poderia jurar que o Japão era o Pacaembu mesmo. No Chelsea X Monterrey, os corintianos gritavam timão-ê-ô. É lindo.

No fundo, aposto que todos nós corintianos sabemos que a derrota nesse domingo pode acontecer. Tem 50% de chance, aliás. E se vier, quer apostar quanto que todo esse amor vai continuar intacto? Ou até maior... Ser corintiano é o único casamento eterno. Ninguém pede divórcio do Corinthians. No máximo, o Corinthians provoca divórcios.

Uma vez, um vascaíno sem graça me disse que o Corinthians nunca ganharia uma Libertadores. Era a sina do timão, segundo ele, ser zoado eternamente por não ter essa taça. Na hora fiquei quieta, hoje penso: rá pra esse vascaíno! A chateação que eu senti quando ouvi isso da boca dele foi por mim e por mais 30 milhões de loucos apaixonados. Felizmente o Corinthians me vingou, quer dizer, a felicidade de 30 milhões de pessoas foi a melhor vingança. É só que acho errado torcer contra tanta gente, tanta gente apaixonada. Não se ri nem se roga praga num amor tão grande.

E só um recado a esse vascaíno e a todos os outros anticorintianos: vocês podem duvidar da vitória e têm todo o direito de rir num caso (bate três vezes na madeira) de derrota. Só não duvidem de que isso possa tirar o orgulho de ser corintiano. Se a administração Dualib e a segunda divisão não tiraram, não vai ser uma mera derrota nesse domingo que diminuirá o amor. Talvez porque ser louco pelo Corinthians tenha a ver com genética, né, pai? Boa sorte pra gente! 


Partilhar

4 comentários:

Leonardo disse...

Vamos ganhar!
Aqui em Pará de Minas (MG) tem um corinthiano fiel!
Parabéns pelo texto.
Vai corinthians!
Leonardo

Anônimo disse...

Texto maravilhoso. Isso é ser corintiano. Isso é ser Fiel. Vaaaaai Corinthians!!!

Renato disse...

Agueeeeenta coraçao corintiano...demais

Ana González disse...

Sei não se vai ganhar,Mariana e amigos, mas que a torcida vai fazer uma festa, ai isso vai!!! E já ter chagado lá, valeu muito também! rsrsrs...