domingo, 24 de agosto de 2008

O TEMPO, O ESPAÇO E O ABSURDO >> Eduardo Loureiro Jr.

O. Krause, et al., SSC, JPL, Caltech, NASAExiste o tempo, o espaço e o absurdo.

O tempo é uma pessoa que acende e apaga ininterruptamente um interruptor enquanto outra pessoa canta uma música que acende e apaga palavras:

Eu sou um vaga-lume
que brilha e também se apaga.
O escuro vai fugindo
por onde meu lume vaga.


O espaço é estar acima, do lado, entre ou mesmo distante.

Absurdo é lembrar de uma pessoa que não se vê há vinte anos, da qual não se tem a menor idéia de distância... lembrar apenas porque aquela pessoa lhe ensinou a fazer uma dobradura de papel e você está fazendo essa dobradura agora.

O tempo-espaço é sentir-se próximo mesmo sem se estar próximo apenas porque se esteve próximo num momento anterior. É guardar para sempre uma presença que não existe mais.

O espaço-absurdo é estar perto sem poder tocar, tocar sem poder entrar, entrar sem poder perder-se, perder-se e ter que se achar.

O absurdo-tempo é estar em qualquer então, sem máquina, apenas com o sentipensamento.

Tempo-tempo é este momento.

Espaço-espaço é o abraço.

Absurdo-absurdo é este mundo.

E se o tempo-espaço-absurdo fosse tal que nos permitisse viver o que quiséssemos viver e só depois se organizasse, também segundo a nossa vontade? E se pudéssemos escovar os dentes, tomar a sobremesa, comer a salada e, no final, disséssemos que comemos a salada, tomamos a sobremesa e escovamos os dentes? E se cada agora, aqui, desejo, fosse uma peça de Lego que juntássemos e desjuntássemos durante a vida e definíssemos sua forma final apenas na morte, iluminados pela luz definitiva do fim do túnel?

E se eu escrevesse num lugar longe de casa coisas sopradas ao meu ouvido por uma voz antiga — ou ainda vindoura — sem que eu compreendesse ao certo o seu sentido?

Aqui agora isso.




Partilhar

6 comentários:

zelimao disse...

Parabéns, gostei muito do seu blog. Muito bom de conteúdo.. Li e gostei pacas mesmo.. Ah, acabei de estrear o meu mais novo trabalho: meu blog de crônicas bem cítricas, digamos assim, kkk.. Gostaria de tua crítica. Falou? Deixe um comentário lá. Obrigado.

Marisa Nascimento disse...

Nossa, Eduardo! Você me surpreende a cada dia! Que viagem deliciosa ao Cosmos das nossas entranhas, dos nossos segredos, das nossas verdades...

Carla Dias disse...

Eduardo... Essas suas viagens pra dentro, modificando o fora, o determinado, são extremamente inspiradoras.
"Aqui agora isso" é bom...

Eduardo Loureiro Jr. disse...

Valeu, zelimao! Bem legal seu blog também. E o design é lindo!

Marisa, cada vez mais mérito da voz que sopra coisas ao meu ouvido. :)

Carla, o que posso dizer é que me sinto ins-pirado, pirado por dentro.

Eu disse...

Pois eu li o seu comentário lá embaixo, na minha crônica, e decidi escrever mais. Escrevi um texto sobre marte e o espaço.
Voltei aqui e leio esse...
Tsc, tsc, tsc não há espaços entre os pensamentos, certo?
:)
bjs!
Ana

Eduardo Loureiro Jr. disse...

Ana, quer dizer que foi você que me roubou o texto sobre Marte e o espaço?! :) Acho que era esse texto que eu queria escrever, mas acabei escrevendo este outro. :)