quarta-feira, 20 de agosto de 2008

MINHA LISTA >> Carla Dias >>

Eu não nasci para listas...

Não fiz lista de mocinhos que beijei, quando era adolescente. Lia a lista das minhas irmãs e amigas, o que não deixava de ser interessante, até porque depois conferia a cara dos moçoilos lá na escola e ficava pensando se também eu os beijaria.

A lista de livros que devia pegar na biblioteca municipal se desfazia assim que eu botava os olhos nas prateleiras. Eram tantos que a lista ficava na bolsa. Voltava pra casa com, no mínimo, três exemplares. Nenhum deles estava na lista.

Fazer lista para ir ao supermercado é algo que me proponho a consertar. É que sempre faço, nunca uso e volto pra casa com itens faltando e outros sobrando. Tenho esperança de, dia desses, render-me ao valor da lista de supermercado, até para diminuir as idas e vindas carregando sacolas ecologicamente incorretas.

Obs.: Incluir na lista de supermercado uma sacola ecologicamente correta.

Acredito que a lista mais popular é a do que se deseja realizar durante a vida. Eu fiz uma quando ainda sonhava em arranjar um emprego e cair no mundo. Era mais ou menos assim:

- arrumar um emprego
- cair no mundo

Posso dizer que realizei minha lista capenga, já que essa deveria conter 10 itens... E existe até de 100! Enfim, arrumei um emprego e cai no mundo... De cara!





Fato é que algumas listas têm seu charme, melhor, alguns autores de listas são tão caprichosos na sua função que podemos chamá-los poetas. E há aqueles que não vivem sem uma lista: dos presentes que têm de comprar, telefonemas a fazer, amigos para visitar, médicos que precisa consultar. Para essas pessoas, ticar itens das suas listas é um prazer... Prazer, sabe?

Há alguns anos, um amigo, sabendo da minha paixão pelo cinema e pela televisão, pediu que eu fizesse uma lista de filmes e seriados para que ele saísse um pouco da rotina do gosto próprio. Confesso que demorei a fazer a tal lista. Meu amigo disse “aponte os seus preferidos”, e daí que me atrapalhei toda! Essa coisa de preferido é cilada...

Algumas semanas depois, mandei a ele a primeira versão da única lista que fiz com dedicação. Como títulos de filmes às vezes são duplicados, apontei o título original, ano de lançamento e nome do diretor.

Meu amigo teve de engolir que eu não sou boa com listas, mas aceitou a minha filha única com respeito... Quer dizer, antes disso, ele questionou bastante sobre eu realmente ter assistido aquilo tudo.

Fato é que algumas listas não têm fim, por isso parecem tão divertidas ou necessárias. Você tica um item, tica todos, e vai logo acrescentando outros. O mesmo se deu com a minha lista, que está em constante transformação, porque não paro de incluir itens. Mas o que gosto dela é que não dá pra ticar... O que lá consta já aconteceu, então, é uma lista de benquerenças, não de expectativas.

Apesar do esmero que dedico à minha lista, confesso que não quero entrar na onda de procriá-las. Certas coisas devem ficar fora das listas e da necessidade de realização que vem junto. Certas coisas não são necessidades... São conseqüências de outras.

Quer conhecer a minha lista? Clique aqui.

No mais, espero que os listeiros de plantão se dêem bem melhor com suas listas do que eu com as quase-listas que fiz nessa vida.

A do supermercado, prometo, vou praticar.

Obs.: Incluir na lista do que se deve praticar “conceber e usar lista para fazer supermercado”.

www.carladias.com



Partilhar

9 comentários:

Rubia disse...

aaahhhh... eu adoro uma listinha tb! e nossa... realmente dá um puta prazer em riscar as coisas! TOC, TOC!!!
não sei, quando fazemos uma lista parece que queremos organizar uma coisa que não é e nem precisa ser organizada... sei lá... coisa da maluca com TOC aqui :)
bjo!

Eduardo Loureiro Jr. disse...

Quequeisso! Que listão! :) Assunto bom esse de listas, ainda mais com sua prosa gostosa. :)

Carla Dias disse...

Rubis... Eu sei que você ADORA uma listinha! Pensei em você quando escrevi sobre a lista. Mas no seu caso, tudo certo, porque ela funciona... Ou você funciona com ela.

Eduardo... Juro que a idéia não era copiar a sua lista, mas confesso que fiquei com inveja, porque não pude estar na sua lista paulistana, então resolvi falar sobre a minha... Mas eu prefiro a sua : )

Crisântemo disse...

Ah, lista de supermercado. Confesso que sempre tento fazê-la, às vezes a perco antes mesmo de sair de casa e tenho que começar uma nova... Mas na maioria das vezes ela é deixada no banco do carro ou sai voando enquanto coloco o primeiro item no carrinho.
Ainda na questão lista, tinha uma amiga que era maníaca por post it... a lista dela virava dezenas de post it espalhados pelo computador, praticamente uma árvore de natal da 3M.

Adriana Dias (Drika) disse...

Muito bom!!!!!!1 Nunca ri tanto de mim mesma...kkk...tenho lista de tudom, todo dia insiro uma nova no meu caderno de listas, verdade...kkk....só preciso de uma lista de dizendo LEMBRAR ONDE GUARDEI O CADERNO DE LISTAS. kkk... Vc é uma excelente escritora, querida e capta o cotidiano com tanta graça que até achamos que ele tem graça mesmo. bjs

Eduardo Loureiro Jr. disse...

Crisântemo, sua amiga fez lembrar esse filminho - http://www.youtube.com/ytscreeningroom?v=7IeSqVboADw - feito só com post its.

Marisa Nascimento disse...

Uia, Carla!!! Com aquela listinha ali que você fez, já está com crédito de listas para esta e outras encarnações :)

Anônimo disse...

Carlinha, voce esta na lista das pessoas mais bacanas que conheci nos ultimos tempos, como gosto de voce. Uma beijoca. Drika

Anônimo disse...

Eu acho lista uma coisa admirável, mas confesso que as minhas listinhas são mais mentais, no papel mesmo elas nunca funcionam. A lista mais recente que estou tentando fazer, por não ter memória pra guardar ela todinha, é a de livros que quero ler. Ah, já salvei a sua lista de filmes e acho que quem consegue fazer uma lista daquelas, mesmo que seja a única, já merece aplausos rs. Elaine