Pular para o conteúdo principal

PROMESSA >> Paulo Meireles Barguil


No intento de conseguir algo, a pessoa promete.

Quem fala de modo solene, em alto e bom som, invocando até os genitores, é confiável?

O que é dito em cochicho, sussurro e gemido é crível?

Quem ouve tem o direito de acreditar ou de duvidar.

Algumas vezes, para se resguardar de eventual prejuízo em virtude de não cumprimento do dito, o compromisso é registrado: direitos e deveres para os envolvidos na transação.
 
Não basta, contudo, aplicar sua assinatura.
 
É necessário que ela seja autenticada!

A folha escrita atenua o peso da incerteza, mas não a elimina.

E o que não é passível de ser colocado no papel?

O jeito é confiar no outro, sabendo que ele, assim como você, pode ser, a qualquer momento, abduzido por desejos intrauterinos ou inomináveis...
 
 
[Eusébio – Ceará]

[Foto de minha autoria. 06 de dezembro de 2019]

Comentários