Pular para o conteúdo principal

natal >>> branco




é natal
pessoas sorrindo felizes
magia

é natal
compre 3 e pague 2
diz o vendedor

é natal
e eu vejo um mendigo
caído na sarjeta














Comentários

Anônimo disse…
Minimalista e completo. Genial !
Salete Ortiz disse…
Acordei feliz e dei uma revisada na minha lista de compras, abri meu facebook e me lembrei que hoje é o dia de sua publicação. Que vazio no estomago, quanta realidade condensada em poucas linhas. Estou revendo a minha lista de prioridades, obrigado.
Sérgio disse…
Ser acordado por um verdadeiro soco da verdade no estomago ! Obrigado por nos fazer refletir!
Carlos Eduardo disse…
O mago nos abrindo as variantes.
Anônimo disse…
Ótima reflexão!!! Infelizmente, faço parte desse clima natalino cheio de palavras e poucas ações.
Alessandra Calil disse…
Triste realidade, onde as pessoas realmente não tem o espírito natalino, que é a paz, generosidade e o amor ao próximo.
Hoje vemos o significado do natal como um consumismo, não vou ser hipócrita de dizer que não gosto de ganhar presentes, mas devemos parar e pensar nas pessoas que não tem nada nesse natal, fazer um exame de consciência.
Realmente um soco no estômago meu amigo 👏👏👏
Walter disse…
Natal, a data em que os fariseus tornam a desprezar o menino pobre. Muito para refletir neste seu poema.
Mauro disse…
Econômico em palavras e abundante em reflexões. Bravo maestro!
Sandra Modesto disse…
O natal do Brasil do capitalismo versus desigualdades sociais. Políticas públicas seriam um bom presente para direitos iguais. Direitos humanos. Quem sabe os governantes tenham isso em seus projetos para o próximo natal.
Poesia direta e forte, Branco. Parabéns!
Rosana disse…
Brilhante !
Daniela Lara disse…
É uma realidade, infelizmente. Mas o final pode ser diferente.
Propício para repensarmos...
Zoraya Cesar disse…
Perfeito! quase um hai kai, que, em vez de terminar numa conclusão explosiva de ternura, nos explode de tristeza. O poema foi num crescendo de decadência e realidade em tão poucas palavras que parecia impossível! Inclino-me, my lord, em silêncio.
Albir disse…
É natal e comemora-se a crucificação do mendigo.