sábado, 6 de abril de 2013

A VAGA É PARA IDOSOS... [Maria Rita Lemos]

... e DEFICIENTES. “A regra é clara”, como diria Arnaldo Cesar Coelho. Teria que ser, mas parece que o número de analfabetos, reais ou funcionais, em Limeira, excede a média nacional.

Eu, que já estou na categoria dos idosos, sinto na pele a falta de leitura, educação, civilidade, nem sei como qualificar, desses motoristas espaçosos que, para não caminhar alguns metros, invadem as vagas (poucas, diga-se de passagem) reservadas para idosos e deficientes físicos.

Vejam bem que nem estou falando das filas em bancos e supermercados, que também são invadidas por pessoas jovens e folgadas, deixando no final da fila os que já adquiriram esse mísero privilégio da prioridade, como se esse direito não lhes fosse conferido por lei, e com o mérito de já terem vivido o suficiente, sofrido o suficiente, ou ambas as condições.

Dia desses, num supermercado perto de minha casa, chovia e eu não conseguia estacionar o carro numa das duas únicas vagas disponíveis para idosos, porque já havia veículos lá, sem a devida identificação. Ou seja, sem o cartaz plastificado em que se lê IDOSO. Identificação, aliás, que eu só consegui depois de juntar os documentos pedidos, e enfrentar uma fila de espera no Setor de Transporte da Prefeitura.

Uma das vagas invadidas, aliás, sem a tarja de “idosos”, era de um carro daqueles que Fernando Collor, o ex-presidente, chamaria de “carroça”. Minha filha, indignada com a ousadia do ou da condutora, muniu-se de uma folha em branco, que nunca falta em carro de escritora, e escreveu em letras garrafais: “A VAGA DE IDOSOS REFERE-SE AO CONDUTOR, NÃO AO VEÍCULO”. Escreveu e prendeu o bilhete-protesto no para-brisa do carro. Acho pouco provável que o fato tenha servido de lição para o motorista pouco ético, mal educado, etc. Mas, pelo menos, lavou nossas almas.

Em tempo: Agora é lei. O estabelecimento que permitir o estacionamento de veículos sem identificação nas referidas vagas, para idosos ou deficientes, será multado. A informação veio do Conselho Municipal do Idoso, órgão de nossa cidade, e que existe também em todas as cidades de porte médio do Brasil. Não sei se o motorista também vai ser multado, tomara que seja. Mas o estabelecimento vai ser.

Então, espertinhos de plantão, fiquem de olho vivo. Até por que quem quer ter vantagem em tudo, passando por cima até do direito de idosos e deficientes, tem que se lembrar que só tem dois caminhos: morrer antes da velhice, ou envelhecer. Ou, ainda, ficar, temporária ou definitivamente, portador de algum tipo de deficiência. Fato esse que não desejo a ninguém.

Espero, sinceramente, que todos e todas que me lêem agora tenham uma velhice saudável e serena, podendo usufruir ao menos dos poucos direitos que a vida ainda lhes concede.

Partilhar

Um comentário:

albir disse...

Antes mesmo de pertencer a essa categoria, Maria Rita, embora já com alguns achaques, tenho esperneado, inclusive aqui no Crônica do Dia, contra o tratamento dispensado aos idosos. Sei que é uma briga longa. A ignorância e a desfaçatez superam até mesmo a certeza: todos vão envelhecer. Aliás, felizes dos que envelhecerem. Parabéns pela crônica.