sexta-feira, 10 de agosto de 2012

NÃO SEJA UM CHATO HOJE À NOITE
>> Leonardo Marona

eram dez da noite de um domingo nevoento e fresco, estranho à natureza da cidade, e eu estava prostrado numa cama rangente assistindo a ridículos programas de auditório e pensando serei despejado mas não consigo me mexer, estou paralisado pela ansiedade quase infantil quase entusiasmada de não ter finalmente casa e ser apenas pele em movimento apocalíptico mas também com muito medo e eu então pensava preciso me apaixonar ou será o pior fim já que tanto o desespero quanto a paixão levam à mesma ruína mas antes morrer de paixão porque assim ao menos escreverei pequenas cartas e quem sabe assim as coisas não ficariam mais tranquilas ou pelo menos desimportantes e foi justamente nessa hora quando na TV dois travestis disputavam um quiz show de perguntas e respostas no programa do Silvio Santos que você que nunca liga telefonou com o simples convite de vamos até a Praia do Arpoador? e eu disse não estou em casa e nem me sinto bem mas você estava tão animada extremamente animada acho até que pude escutar pequenas risadas que espirravam feito molho de tomate em roupa branca risadas de efusão lírica tão típicas de algumas divas cantoras mas não você em geral que provavelmente ria do meu mau-humor ou da minha depressão porque de fato, pensei, eu era uma pessoa totalmente risível e talvez fosse este o meu único e irremediável charme minha única cartada mas eu não usaria isso agora com você eu diria qualquer coisa como não seria perigoso ir à praia a essa hora? ou será que eles têm uma iluminação apropriada? e com muita ousadia para o seu comum estado de espírito você diria te apanho em dez minutos não seja um chato hoje à noite e muito bem, pensei enquanto te esperava, vestirei aquele short curto demais mas eu sabia que você havia apreciado minhas coxas de siciliano matuto e eu até escovei os dentes porque a tristeza cheira a morte dentro das bocas que se negam a aceitá-la e quando você chegou eu estava no lugar errado havíamos combinado em frente aos bombeiros mas você estava no lugar errado e eu pensei sempre estivemos nos lugares errados e alguns rapazes que bebiam na esquina inclusive assobiaram fazendo pouco caso do meu short curto mas eu não dei bola porque essa é a sorte de se estar deprimido ficamos delicados e indiferentes e todos dizem oh como você esteve agradável aquela noite e eles mal sabem o quanto preferiríamos gritar grosseiramente e escarnecer os céus com uma felicidade abrasadora de todo modo ali estava você com seus antológicos dentes separados e suas pernas brancas muito finas e seus seios quase pequenos mas que encheriam as mãos de um anãozinho e seus cabelos que, você disse, cortei meus cabelos veja eu raspei os cabelos aqui do lado e ainda me ofereceu biscoitos antes de darmos a partida pelo que eu disse detesto biscoitos de qualquer tipo e você disse minha mãe os comprou na feira da Glória e por isso eu comi um deles e eram realmente maravilhosos biscoitos de champanhe com recheio de doce de leite e eu lembrei pela primeira vez no dia com carinho de alguém e este alguém era sua incrível mãe a quem eu sempre me declaro mas nunca a ela e sempre a você como uma forma um tanto idiota de declarar-me a você mesma e de alguma forma eu acho que você entendia a mensagem e nós saímos e meu deus como você dirige mal e brutalmente avança diante dos carros e dos pedestres e quase sempre perdia a direção do veículo e eu dizia cuidado por deus podemos morrer e você justificava dizendo a minha mãe trocou os pneus do carro e não balanceou pelo que eu imediatamente perdoei tudo como era meu dever e minha função quando alguém dizia minha mãe fez isso ou aquilo porque eu sempre perdoei as mães na verdade de qualquer abuso e antes que morrêssemos num acostamento qualquer chegamos à praia e eu disse ainda antes que estacionássemos eu ia te ligar hoje mas desisti e nessa hora você teve um lampejo de você mesma ou a você mesma que eu sempre imaginei dizendo ora você poderia ter guardado isso para si e eu disse mas somos amigos e os amigos podem falar qualquer coisa e você aceitou dessa vez calada e quando eu perguntei se tomaríamos banho de mar você falou eu trouxe meus patins e eu disse não sabia que você tinha patins e você disse comprei os patins recentemente e sempre andei de patins mas já faz tempo que não e eu falei patins não são como bicicletas pode ser muito perigoso e você disse mais uma vez não seja um chato hoje à noite pelo que eu me calei um pouco porque já li em muitos livros grandes escritores dizendo devemos falar o mínimo para colher as coisas sem culpa mas você estava falante e andamos na areia um pouco e na areia havia muitos casais gordinhos namorando e eles mal conseguiam se abraçar com suas barrigas protuberantes mas era tão bonito aquele romantismo difícil que tive vontade de te puxar pelos cabelos e beijar tua boca mas me contive porque já não sou mais tão gordinho para me manter romântico e você afinal é bem magra então comecei a fumar cigarros e você comentou como você fuma e eu disse eu detesto cigarros mas fico tão charmoso fumando etc e você disse você é a única pessoa que fuma no meu carro sem pedir permissão e eu disse somos amigos afinal e você riu e eu pensei eu preciso me apaixonar ou será o pior fim mas não havia brechas éramos como policiais vigiando os casais gordinhos que começaram a abotoar as camisas e fechar as calças enquanto começamos a rir da nossa patrulha aos gordinhos amorosos e ao mesmo tempo você começou a recolher tampas de garrafas e sacos de biscoito e disse é um trabalho inútil mas eu falei seria útil se você fizesse todos os dias e finalmente voltamos para o asfalto quando você disse triunfante agora você vai ver meus patins novos e eram realmente belos patins, eu disse, mas você estava triste de repente porque havia perdido um par de meias e disse são minhas meias preferidas e eu não sabia muito bem o que dizer afinal nunca tive meias bonitas só meias cinzas pretas brancas encardidas mas você ficou visivelmente frustrada e disse que frustrante enquanto eu roía as unhas e jovens mais jovens do que nós ouviam música eletrônica dentro de um fusca quando eu disse você vai mesmo andar de patins a essa hora? não era melhor de dia? pode ser muito perigoso e se você cair? e você disse você pode se juntar àqueles idiotas dentro do fusca mas eu disse apenas tome cuidado vou estar aqui te observando e lá foi você com um só par de meias vestindo seus patins e explicando com orgulho comprei esses patins apenas porque eram muito bonitos e eu perguntei onde você os comprou e você disse no shopping chão ou algo do gênero e eu perguntei o que diabos é o shopping chão e você se inflou, me lembro, para dizer que era uma feira de rua na Glória onde os mendigos vendiam velhas bugigangas e com uma meia apenas lá foi você com seus patins equilibrando-se muito mal até a pista expressa e de lá saiu patinando como alguém que tinha feito cocô nas calças mas eu não ri apenas disse você deve trabalhar o movimento dos braços junto com o das pernas para não perder o equilíbrio e você respondeu cacete eu não patino há anos e você me diz isso mas eu falei eu disse apenas para você se sair melhor e você mesmo contrariada fez o que eu disse e eu vi com a cabeça apoiada e algum sono você desaparecer pela pista expressa e pensei meu deus ela ainda precisa voltar e fiquei vendo uma loira abraçada com um gordinho e pensei os gordinhos ainda vão dominar o mundo até que depois de algum tempo você voltou entramos no carro e fomos embora em silêncio e você me deixou em casa e a coisa mais linda me esperou entrar porque afinal aquela era uma área perigosa e eu pensei espero que ela encontre a outra meia e no dia seguinte você me ligou aos gritos dizendo encontrei a outra meia você foi muito agradável é um milagre e eu pensei preciso me apaixonar mas a verdade é que não precisava mais.


Partilhar

Um comentário:

Gaspar Lourenço disse...

Muito bonito, parece uma curta-metragem romântica! Para ser sinceiro também preciso me apaixonar. lol