Pular para o conteúdo principal

UM DIA >> Albir José Inácio da Silva

Um dia ele amanheceu sem dores e a mulher não reclamou de nada. Os filhos não pediram dinheiro nem brigaram antes de sair pra escola. Não recebeu nenhum telefonema de cobrança e, diga-se, o telefone nem estava cortado. Não viu o jogo ontem - nem sabe por que motivo - mas seu time não deve ter perdido, ou seu vizinho já o estaria sacaneando aos berros.

Naquele dia também não teve que sair de madrugada com recortes de empregos para ouvir nãos e voltar com tristeza e fome. Não o fizeram acreditar que era um fracassado e uma espécie de conselho de família e amigos, embora reunido, não concluiu que ele era imprestável e preguiçoso. Passaram apressados e olharam como se, pela primeira vez, se preocupassem com sua doença.

Depois de muitos anos não ficou triste ao acordar, não teve vontade de se matar, não rezou sem fé, nem se arrependeu do que fez. Não ia mais aturar desaforos. Quem pensam que são? Como diz Pessoa em linha reta, estão sempre campeões em tudo? São semideuses? Só ele é vil? Não era perfeito, mas quem ali podia se considerar melhor que ele? Queriam mantê-lo assim, precisavam de sua humilhação, os abutres. Que fossem procurar outra carniça. Bastava.

Ele não tossia, não engasgava nem fazia caretas pra respirar. Não precisou se arrastar até o ambulatório e esperar sentado, no chão, nem engolir comprimidos. Aquela vizinha enfermeira de mão pesada não apareceu com seringas e agulhas cada vez maiores e, apesar das marcas de ontem nos braços, não houve tortura naquele dia.

Num dia assim tranquilo não havia motivos para atrasos e seu enterro saiu pontualmente às quinze horas.

Comentários

Perfeito, Albir. E "tem dias que a gente se sente como quem partiu ou morreu" mesmo. :)
Marilza disse…
Albir, as vezes morremos um pouco a cada dia, para renascer novamente...sempre movidos pela fé.
Giovani Iemini disse…
que legal.

eu lia o crônica do dia quando era no site do PÁTIO. não sabia que vcs haviam se mudado para cá.

bem, vou linká-los no BAR DO ESCRITOR, um ezine de literatura com uma comunidade de 3750 escritores no orkut.
aliás, se quiserem fazer algo em conjunto, seria ótimo.

ah, eu tive uma crônica publicada aqui há tempos. nem a achei mais. nem lembro qual era. hehehe.

[]s

ah, www.bardoescritor.net
fernanda disse…
Sempre supreendendo, Albir. Se essa crônica tivesse uma trilha sonora, pra mim seria Construção, do Chico.
Abraços!
Olá, Giovani! Bom reencontrar um antigo colaborador. As crônicas que você publicou aqui foram: http://patio.com.br/cronica/2006/agosto/eu_detesto_a.htm e http://patio.com.br/cronica/2005/abril/duas_coisas.htm
albir disse…
Pois é, Edu, a Fernanda também viu Chico Buarque, com Construção.
Que bom que vc estava atento e respondeu ao Giovani.
albir disse…
Marilza,
tem razão, a fé não costuma faiá.

Giovani,
que bom que o chefe estava atento: eu não saberia dar essas informações.
Continue conosco, e vamos lá no seu bar.

Fernanda,
o Eduardo também pensou no Chico, com Roda Viva. E já que vocês falaram, lembrei de "Pra mim basta um dia, não mais que um dia, um meio dia".
Oi, Albir! Enquanto lia fui vendo semelhança com Chico e cheguei para comentar vi os outros comentários. Que talento você recebeu e lapidou, não? Parabéns! Sabe que gosto muito do seu trabalho!
albir disse…
Viva o Chico.
E só me resta repetir o Edu lá na crônica de domingo: Você, Marisa, é o paraíso de todo escritor.
Carla Dias disse…
Muito bacana, Albir. E tenho de concordar que cabe um quê de Chico Buarque aqui!
albir disse…
É,todo mundo enxergou Chico.
Obrigado, Carla, um abraço.
...traigo
sangre
de
la
tarde
herida
en
la
mano
y
una
vela
de
mi
corazón
para
invitarte
y
darte
este
alma
que
viene
para
compartir
contigo
tu
bello
blog
con
un
ramillete
de
oro
y
claveles
dentro...


desde mis
HORAS ROTAS
Y AULA DE PAZ


COMPARTIENDO ILUSION
CRONICA DO DIA

CON saludos de la luna al
reflejarse en el mar de la
poesía...




ESPERO SEAN DE VUESTRO AGRADO EL POST POETIZADO DE TOQUE DE CANELA ,STAR WARS, CARROS DE FUEGO, MEMORIAS DE AFRICA , CHAPLIN MONOCULO NOMBRE DE LA ROSA, ALBATROS GLADIATOR, ACEBO CUMBRES BORRASCOSAS, ENEMIGO A LAS PUERTAS, CACHORRO, FANTASMA DE LA OPERA, BLADE RUUNER ,CHOCOLATE Y CREPUSCULO 1 Y2.

José
Ramón...
albir disse…
Ramon, gracias hermano.

Postagens mais visitadas deste blog

MÃE – A MINHA, A SUA, TODAS
[Debora Bottcher]

Pessoalmente, não gosto de escrever sobre ‘datas especiais’ porque sempre me pergunto quem foi que inventou esses ‘dias de’ e baseado em que. É que apesar de eventuais evidências, eu me recuso a crer que essa ‘mágica’ idéia resiste ao tempo, à modernidade, às novas gerações, fincada apenas no foco de atiçar as vendas do quase-sempre-em-crise mercado comercial – digo ‘quase’ porque todas as vezes que vou ao shopping, em qualquer dia da semana, assombro-me com o movimento constante. Daí não tenho certeza de entender bem a base dos números e imagino sempre que é porque as estimativas são ousadas e otimistas demais, muito acima do poder aquisitivo da população média.
Seja como for, se me proponho a abordar o tema do momento – o ‘Dia das Mães’ - prefiro direcioná-lo à figura materna diretamente, para quem, certamente, tal dia é apenas uma vírgula no traçado de sua (árdua) trajetória. Não sou Mãe – que fique claro; portanto, para dedilhar (vagamente) sobre elas, vou me basear na minha, nas m…

À DISTÂNCIA (Paula Pimenta)

E se quiser recordar daquele nosso namoro
Quando eu ia viajar você caía no choro Eu chorando pela estrada Mas o que eu posso fazer Trabalhar é minha sina Eu gosto mesmo é d'ocê...
(Vital Farias)

Quem nunca namorou de longe, não vai conseguir entender metade do que eu vou escrever nessa crônica, porque só quem já passou por essa experiência sabe o quanto ela é difícil. Mesmo assim vou tentar explicar, para todas as vezes que vocês se depararem com alguém reclamando da ausência do namorado, não começarem com as manjadas frases que não fazem nada pela pessoa solitária: “Ah, mas pelo menos quando vocês se encontram tudo é festa, nem tem tempo pra brigar.” Ou: “O tempo está passando rapidinho, logo o próximo feriado chega.” Ou ainda: “É bom que no período que ele está longe você pode curtir com os amigos.”

Só quem namora à distância sabe o quanto essas frases são mentirosas. O tempo não está passando rapidinho, pode até passar pra quem está com o namorado do lado, podendo ir com ele ao cinema …

EU ESTOU BEM >> Sergio Geia

Digamos que foi um susto. No último dia 11, eu voltava de Jacareí sentido Taubaté, seguia o fluxo normalmente quando no km 156 da Via Dutra, bem em frente ao posto de guarda, em São José dos Campos, os carros à minha frente — como em Blecaute, de Marcelo Rubens Paiva —, simplesmente congelaram. De 80 km, naquele trecho, para zero, em fração de segundo. Não tive tempo de rezar (ah, como eu queria!), nem sequer olhar pelo retrovisor, descobrir se havia ou não uma carreta atrás de mim. Quando a ficha caiu, pisei fundo no freio, consegui não atingir o veículo à minha frente, mas, também, só por outra fração de segundo. De repente, uma sensação esquisita: eu senti a estocada, os objetos que estavam em cima do banco do carona voaram, logo meu veículo era arrastado até atingir o da frente.

Desci. Os motoristas dos outros quatro carros desceram, todos confusos, querendo entender. Os três primeiros carros, incluindo o meu, pequenos danos materiais, levíssimos diante do susto. O penúltimo e o …