terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

ESSE TEXTO É MEU! >> Clara Braga

Que bom que somos cronistas preocupados em escrever bons textos e sempre assinamos com nossos próprios nomes. Aqui não se tem a intenção de escrever um texto e assinar no nome de outra pessoa só para ser lido. Que graça tem escrever o que se pensa com suas próprias palavras e assinar como outra pessoa só para que seu texto circule e muita gente leia?

O último que está rolando agora é um sobre o BBB, que o Luis Fernando Veríssimo já declarou não ser dele. Eu sou a pior pessoa para dizer quando um texto parece ou não ser de alguma pessoa, acredito sempre na assinatura. Santa inocência! Mas esse último é estranho, não se parece em momento algum com Veríssimo. Mas a verdade é essa, depois que a internet, e principalmente os blogs, viraram febre, é difícil ter controle sobre os "direitos autorais" dos textos de qualquer pessoa.

Não acho que no final das contas não se deve escrever para falar mal do BBB, vamos lá, vamos falar mal, vamos reconhecer que se aquelas pessoas que estão lá dentro são os heróis brasileiros eu prefiro voltar para a Austrália, que se esse é o tipo de programa que dá ibope, as pessoas deveriam arrumar coisas melhores para fazer da vida delas, mas vamos assumir que somos nós que não gostamos. Ou então escreva assumindo que gosta, qual o problema?

Eu bem que gostaria de ser Adriana Falcão por um dia, ou quem sabe uma Martha Medeiros, ou quem sabe uma Clarice Lispector (mas ai já teria que ser mensagem psicografada e ninguém ia acreditar em mim). Mas, no final das contas, o texto ainda seria meu e as pessoas iriam gostar apenas porque não gostar de uma Clarice Lispector não significa que o texto é ruim, significa que você não entendeu, então todo mundo gosta.

Eu prefiro ser Clara Braga mesmo, me permito escrever textos bons do meu jeito e também escrever textos ruins quando não estou inspirada, e as pessoas se permitem gostar ou não gostar.

Partilhar

2 comentários:

albir disse...

Eu também prefiro que você seja Clara Braga mesmo. E gosto muito de seus textos. Mas, se for pra você psicografar alguém, por que não Rubem Braga, que é parente?
Bjs, rsrsrs....

Eduardo Loureiro Jr. disse...

Muito bom, Clara.
Ainda não tinha lido um bom texto sobre esse assunto.