quinta-feira, 5 de agosto de 2010

MENOS É MAIS >> Fernanda Pinho



Nove em cada dez mulheres estão insatisfeitas com seu peso e, claro, eu sou uma delas. Tenho todas as neuroses femininas, por que não sofreria com a mais ferrenha? Meu peso me incomoda, me faz chorar, cutuca minha autoestima. Em dias de TPM então...sou a mais pesada do mundo. Mas chega uma hora em que a gente cansa de se lamentar e toma a decisão derradeira: fazer uma dieta! Possibilidades não faltam: dieta da lua, dieta da sopa, dieta dos pontos, dieta do sangue. No entanto, nenhuma delas, embora vendidas como milagrosas, resolvem meu problema. É que o que me pesa não é o corpo, é a alma.

Achava que esse seria um problema crônico, que eu carregaria até o fim dos meus dias. Quem já ouviu falar em dieta para a alma, afinal? Até que, numa conversa com minha amiga Thais, em que ela falava sobre seu novo lema de vida, veio a luz. Menos é mais. O novo lema da Thais virou minha dieta. A salvação da minha alma.

Decidi que era importante começar cortando aquilo o que mais me pesa. E então, Roberto e Erasmo, esses nutricionistas do espírito, me sopraram uma dica: "sei que mundo pesa muitos quilos, não me leve a mal se eu lhe pedir para cortar os grilos". É isso! Tenho certeza de que se eu conseguir eliminar os grilos da minha vida - ou cismas, já que não estamos mais nos anos 70 - ficarei consideravelmente mais leve com o tempo. Claro que não é assim tão simples. As cismas são atraentes, por isso é tão difícil se desapegar delas. E vem sempre servidas com acompanhantes tão atraentes quanto: dúvida, insegurança, medo. É difícil resistir. A cisma está para a alma assim como o carboidrato está para o corpo. Você se farta deles e depois tem que conviver com a culpa. E com a indigestão. Se bater aquela vontade incontrolável de ter uma cisminha, adotarei a mesma conduta para o consumo de lembranças do passado: a prioridade é consumir de manhã, já que terei o dia todo para me livrar daquilo. À noite, os revertérios são danosos.

Aperitivos como fazer telefonemas de madrugada, mandar e-mail ou estabelecer qualquer tipo de comunicação (eletrônica ou não) com pessoas que não se importam comigo também estão terminantemente proibidos. É difícil, mas não impossível. Se bater aquela ânsia de fazer uma loucurinha, vou ler um livro, assistir um episódio do meu seriado preferido, ouvir uma música. Funciona como barrinhas de cereal (só que é bem mais gostoso) e ainda ajuda a evitar o acúmulo de tristezinhas localizadas.

Sonhos e preocupações com o futuro são permitidos. Saco vazio não para em pé. E alma sem sonho também não. Mas tudo em excesso faz mal. O ideal é consumir sonhos um dia sim e outro não. Nos dias "não", vou tentar sossegar o espírito com sonhos de padaria.

Preocupação com o que os outros vão pensar e sentimentos por quem não merece? Esquecerei! Não tenho a menor intenção de ter uma alma obesa mórbida. Do jeito que tá já tá difícil carregar. Para não ficar aquele vazio é só eu substituir: preocupação agora só com a minha própria vida e sentimentos apenas por quem realmente se importa comigo.

Tenho certeza de que com esses cortes e substituições, em breve estarei como a música de Secos e Molhados: "leve, como leve pluma. Muito leve, pousa". Segunda-feira eu começo.

Foto: http://www.sxc.hu
www.blogdaferdi.blogspot.com

Partilhar

12 comentários:

Carla Dias disse...

Fernanda... Eu também vou seguir a dieta da Thaís, mas só porque você me convenceu, com essa inspirada crônica, que eu ainda tenho jeito. Obrigada e beijos!

Gian Le Fou disse...

O texto é leve como a mensagem, extraordinário! Me deu altas dicas!

Grande beijo!

Samara disse...

E tem quem diga que a alma só pesa 21 gramas. Perdoem, eles não sabem o que dizem. Dicas anotadas.

Fabiana Yoko disse...

Pesos da alma são imensuráveis. Dicas anotadas no caderninho e fitinha no dedo para não esquecer!

Beijos Ferdi.

PS: Como sempre, escrevendo com maestria...

..DONA DAS BATATAS.. disse...

Sabe que eu tenho umas crises de "faço o que eu digo, não faça o que eu faço" e às vezes perco a linha, acabo utilizando meu maldito dedo digitador de mensagens que não serão respondidas nos meus surtos de precipitação e isso equivale à ingestão de três barras de chocolate. Mas além do "menos é mais" que luto para colocar em prática, eu participo das reuniões dos vigilantes do peso da alma via msn com você. Eu li a crônica e emagreci dois quilos de alma porque ingeri uma alta dose de carinho explícito e recíproco... nada melhor que trocar receita de comadre! Amo você, simples assim.

Laís Bastos da Silva disse...

Já tentei começar regimes parecidos, termino em pouco tempo e continuo com a alma pesada. Claro que a gente não consegue fazer tudo isso, mas algumas coisas sim, leva tempo. Assim como a dieta do corpo, algumas coisas a gente nunca abandona, no meu caso massas e chocolate, mas outras a gente vai aprendend a diminuir !

fernanda disse...

Pessoas, vocês são lindas. Seus comentários caíram como Diet Shake pra mim :)

Thatha, não me faça chorar na frente dos outros! ♥

Beijos!!

Theresa Diniz disse...

Acho que não vai existir nenhuma nutricionista para poder dar dicas tão importantes para uma reeducação da alma.
Vc é perfeita.
Bjs

Clara Braga disse...

Nossa, vou começar essa dieta agora! hahaha! Mas sem deixar meus shakes de lado! hahaha!
=D

Lu Sucesso disse...

Educar a alma é tarefa diária, antes de nos sabermos gente. Essa crônica diz isso, chama-nos a atençâo para o mais valioso da gente. O corpo deve ser belo e a alma limpa. Parabéns

albir disse...

Fernanda,
só não pode cortar suas crônicas, que deixam leves as nossas almas.

Eduardo Loureiro Jr. disse...

Que perfeição de crônica, Fernanda. Adorei a dieta da alma. E o final me fez estrondar em gargalhada. :))