terça-feira, 10 de agosto de 2010

CAMINHO DA ROÇA >> Clara Braga

Acho curioso reparar que todo mundo tem mania de dar nome às coisas, mas, depois de um tempo, nem sempre o significado que aquele nome tem continua representando o que nós gostaríamos que ele representasse.

No final da semana passada, me convidaram para ir a uma festa junina, mas, se já estamos no mês de agosto, não deveria se chamar festa junina, não é mesmo? E foi ai que eu lembrei que a primeira festa junina que eu fui esse ano foi no mês de maio, ou seja, há 4 meses que estamos tendo festas juninas aqui em Brasília!

Eu mesma não tenho a menor idéia de como aconteceu, só sei que pra mim, algum dia alguém muito inteligente teve a idéia brilhante de, no mês de junho, pegar um monte de comida gostosa que todo mundo come, dividir em diferentes barraquinhas e chamar isso de Festa Junina.

Se você gosta de churrasquinho, pastel, cachorro-quente e muitos doces, sabe muito bem que pode comer qualquer uma dessas coisas em diversos lugares pela cidade, aliás o que não falta hoje em dia é carrocinha de cachorro-quente na rua. Mas comer em qualquer lugar no meio da rua e comer em uma festa junina nunca vai ser a mesma coisa. As pessoas esperavam anualmente por esse momento em que podem comer um cachorro-quente esperando o salsichão ficar pronto.

Exatamente por não ser a mesma coisa, alguma outra pessoa muito mais inteligente, provavelmente cansada de esperar o ano inteiro por esse momento, teve uma ideia mais brilhante ainda. Começou a pegar essas festas juninas e dividir ao longo do ano, fazendo várias festas juninas fora de época. Quem nunca foi a uma festa junina no mês de julho? Ou no mês de agosto?

Só tem um problema nessa história toda, festa junina no mês de julho não é junina. E agora, o que fazer? Vamos ter que parar de fazer festas em julho por causa do nome? NUNCA! Vamos chamá-las de festas julinas! E agora, a cada ano que passa, as festas juninas ocupam mais um mês, já temos festas agostinas, maioninas, abrilinas e assim por diante. Acredito que o objetivo seja completar o ano todo, o que eu não vou achar ruim. Aliás, proponho que a gente faça isso com o Natal também, o que acham?

Partilhar

3 comentários:

fernanda disse...

É como tentar convencer os baianos que carnaval é só em fevereiro...rs. Tem jeito não. Acho que todas essas festas tinham que se chamar festas brasilinas, isso sim. O brasileiro quer é fazer festa o ano todo, ignorando solenemente oq determina o calendário...rs

Eduardo Loureiro Jr. disse...

Clara, sou antiquado: não vou a festa junina que não aconteça em junho. :)

Alcibiades disse...

Ai o saco do papai noel não aguenta! bjs.nêgo