Pular para o conteúdo principal

CAMPANHA ELEITORAL -- Paula Pimenta

Queridos leitores e colegas do Crônica do Dia, peço a vocês licença para repetir minha crônica de duas semanas atrás (atualizei apenas alguns detalhes). O caso é que agora eu estou na final do concurso de composição (tema da crônica passada) e ela está mais atual do que nunca! Obrigada pela compreensão!

Quando eu tinha uns nove anos, adorava escutar "A Turma do Balão Mágico" e outros conjuntos infantis (naquela época se chamava “conjunto” o que hoje em dia a gente chama de banda) dos anos 80. Mas um dia, na casa da minha avó, eu estava brincando no quarto do meu tio e vi um disco (naquela época se chamava “disco” o que hoje em dia a gente chama de CD) e adorei a capa. Uma moça de vermelho sentada na escada e três caras em pé, com cara de “soldadinhos de chumbo”, atrás. Apaixonei-me pelo disco de tal forma que meu tio resolveu me dar, mesmo sem ser disco de criança. Decorei todas as músicas, e quando uma delas começou a tocar nas rádios, eu cantava junto feliz da vida aquele refrão, talvez o mais conhecido do tal conjunto até hoje: “Uuh... eu quero você, como eu quero...”

O "Kid Abelha" ficou bem famoso depois dessa música. Vieram outros vários sucessos e eu continuei fã, como sou até hoje. Porém, alguns anos depois, a banda sofreu uma modificação. O baixista/vocalista, por algum motivo que eu até hoje não sei, resolveu sair e montou outra banda. E eu virei fã também do “Heróis da Resistência”. A banda emplacou inúmeros sucessos nas rádios no final dos anos 80, começo dos 90, mas depois de alguns anos, infelizmente, sumiu.

Muito tempo depois, já perto do ano 2000, fiquei sabendo de um show imperdível. Leoni – o famoso baixista/vocalista do Kid-Heróis – e Leo Jaime – outro ícone da minha adolescência, em versão acústica – juntos. Foi um dos melhores shows da minha vida. O teatro não estava muito cheio e eles cantaram tudo o que a platéia quis ouvir, todos os sucessos do Kid, do Heróis, do Leo... e eu acabei descobrindo o que já deveria saber há anos... o Leoni era o compositor das músicas mais legais do Kid Abelha, aquelas todas que a gente sabe de cor e canta como se já tivesse nascido sabendo. Virei fã. Mais do que eu já era. A partir dessa época, o Leoni começou uma carreira solo muito bem sucedida. Lançou vários CDs e tem muitos e muitos admiradores espalhados por esse Brasil afora.

Contei essa historinha toda para introduzir um pedido que farei agora aos meus leitores. O Leoni tem um site que eu acompanho desde que comentou a respeito em um show dele que fui em Arraial do Cabo, no começo de 2007, ao pôr-do-sol, na praia. Inesquecível é pouco. Através desse site, o Leoni interage com os fãs pelos fóruns, disponibiliza músicas inéditas, fala dos próximos shows, conta dos futuros projetos e faz muitas promoções. Não tive como não participar de sua atual promoção. Ele compôs uma melodia e criou um concurso, para que seus fãs escrevessem a letra. Com essa iniciativa, ele espera encontrar um parceiro para sua música. Eu escrevi uma letra. Tinha que gravar um videozinho cantando. Eu gravei. Só que tanta gente se inscreveu (60 ao todo) que o Leoni resolveu fazer seis “paredões” para tirar 10 finalistas. Eu fui a vencedora do meu paredão e agora estou na final. Gostaria de pedir cinco minutos do tempo de vocês pra votarem em mim... Cada pessoa pode votar apenas uma vez. Para tal, é preciso se cadastrar no site dele. Em seguida, chegará no e-mail cadastrado um link de validação. Depois é só ir nesse endereço:
http://leoni.com.br/videos_composicao_final.php e clicar na bolinha ao lado do meu vídeo.

Claro, clicar na bolinha ao lado do meu vídeo é apenas uma sugestão... vocês podem votar nos outros, se acharem que a letra deles é melhor, estou aqui só fazendo a minha campanha eleitoral. Muito obrigada desde já aos meus eleitores! Não prometo nada que eu não possa cumprir, apenas cada vez mais letras que – se possível – se encaixem em melodias...

Comentários

Anônimo disse…
"Gostaria de pedir cinco minutos do tempo de vocês pra votarem em mim..."

Ana te acompanho algum tempo, mas sempre nos bastidores. Hoje não resisti. Tenho que confessar que gastei meu cinco minutos votando em você. Rs... Linda canção. Mas "fã" antigo não pode servir de referência né? Boa Sorte. Abraços.

Fernando Araújo - fapprimo6@hotmail.com
Paula Pimenta disse…
Oi Fernando! Muito obrigada pelo elogio e pelo voto!! Fiquei muito feliz!

Só acho que vc trocou meu nome... eu sou a Paula e não a Ana! :)
C. S. Muhammad disse…
Eu já votei, claro!

Postagens mais visitadas deste blog

MÃE – A MINHA, A SUA, TODAS
[Debora Bottcher]

Pessoalmente, não gosto de escrever sobre ‘datas especiais’ porque sempre me pergunto quem foi que inventou esses ‘dias de’ e baseado em que. É que apesar de eventuais evidências, eu me recuso a crer que essa ‘mágica’ idéia resiste ao tempo, à modernidade, às novas gerações, fincada apenas no foco de atiçar as vendas do quase-sempre-em-crise mercado comercial – digo ‘quase’ porque todas as vezes que vou ao shopping, em qualquer dia da semana, assombro-me com o movimento constante. Daí não tenho certeza de entender bem a base dos números e imagino sempre que é porque as estimativas são ousadas e otimistas demais, muito acima do poder aquisitivo da população média.
Seja como for, se me proponho a abordar o tema do momento – o ‘Dia das Mães’ - prefiro direcioná-lo à figura materna diretamente, para quem, certamente, tal dia é apenas uma vírgula no traçado de sua (árdua) trajetória. Não sou Mãe – que fique claro; portanto, para dedilhar (vagamente) sobre elas, vou me basear na minha, nas m…

À DISTÂNCIA (Paula Pimenta)

E se quiser recordar daquele nosso namoro
Quando eu ia viajar você caía no choro Eu chorando pela estrada Mas o que eu posso fazer Trabalhar é minha sina Eu gosto mesmo é d'ocê...
(Vital Farias)

Quem nunca namorou de longe, não vai conseguir entender metade do que eu vou escrever nessa crônica, porque só quem já passou por essa experiência sabe o quanto ela é difícil. Mesmo assim vou tentar explicar, para todas as vezes que vocês se depararem com alguém reclamando da ausência do namorado, não começarem com as manjadas frases que não fazem nada pela pessoa solitária: “Ah, mas pelo menos quando vocês se encontram tudo é festa, nem tem tempo pra brigar.” Ou: “O tempo está passando rapidinho, logo o próximo feriado chega.” Ou ainda: “É bom que no período que ele está longe você pode curtir com os amigos.”

Só quem namora à distância sabe o quanto essas frases são mentirosas. O tempo não está passando rapidinho, pode até passar pra quem está com o namorado do lado, podendo ir com ele ao cinema …

EU ESTOU BEM >> Sergio Geia

Digamos que foi um susto. No último dia 11, eu voltava de Jacareí sentido Taubaté, seguia o fluxo normalmente quando no km 156 da Via Dutra, bem em frente ao posto de guarda, em São José dos Campos, os carros à minha frente — como em Blecaute, de Marcelo Rubens Paiva —, simplesmente congelaram. De 80 km, naquele trecho, para zero, em fração de segundo. Não tive tempo de rezar (ah, como eu queria!), nem sequer olhar pelo retrovisor, descobrir se havia ou não uma carreta atrás de mim. Quando a ficha caiu, pisei fundo no freio, consegui não atingir o veículo à minha frente, mas, também, só por outra fração de segundo. De repente, uma sensação esquisita: eu senti a estocada, os objetos que estavam em cima do banco do carona voaram, logo meu veículo era arrastado até atingir o da frente.

Desci. Os motoristas dos outros quatro carros desceram, todos confusos, querendo entender. Os três primeiros carros, incluindo o meu, pequenos danos materiais, levíssimos diante do susto. O penúltimo e o …