Pular para o conteúdo principal

CALMA, MAS NÃO VAI PASSAR >> Clara Braga

Recentemente, coincidência ou não, recebi a notícia de que alguns amigos estão grávidos. Desde que me tornei mãe, sempre que fico sabendo da gestação de alguém que conheço sou automaticamente levada para o início da minha gestação, e lembro das diversas atrocidades que ouvi quando contava para algumas pessoas que eu estava grávida!

O comentário clássico é: você não devia ter contado para ninguém antes dos 3 meses, agora corre o risco de perder o bebê. E você que não era supersticioso começa a ficar levemente preocupado, afinal, você não acredita em bruxas, mas...

Também tive que aguentar aquelas pessoas “fitness” que só pensam nas mudanças pelas quais o corpo vai passar e julgam as mães que depois de 3 meses de amamentação ainda estão flácidas. O pior comentário que ouvi de uma dessas pessoas foi: agradeça que você está passando muito mal agora no início da gestação, assim você perde uns quilinhos e depois que seu filho nascer é mais fácil emagrecer.

Algumas pessoas eu apelidei de pessoas catástrofe, e o comentário predileto desse tipo de pessoa é: aproveita a gestação para se despedir de tudo que gosta, pois quando seu filho nascer sua vida acabou! Essa pessoa com certeza não teve uma rede de apoio muito bacana.

Tem ainda aquela galera que sabe tudo e quer dar todas as dicas da vida de uma só vez! O problema dessa galera nem são as dicas em si, que as vezes até são úteis, o problema é que se você não segue o que eles dizem então você está errado! Não comprou o carrinho daquela tal marca? Então não presta! Não fez enxoval da Carters? Vai se arrepender! Não está fazendo pilates? Esquece o parto normal! Quer parto normal? Vai se arrepender, cesariana é melhor!

Enfim, acho que eu poderia escrever um livro só com as bizarrices que ouvi, e é justamente por isso que sempre que alguém me conta que está grávida eu tento não dizer nada mais do que: meus parabéns! Está se sentindo bem? Se precisar de qualquer coisa, conte comigo! 

Curiosamente, depois que eu digo apenas essas pequenas coisas, algumas pessoas disseram justamente que estavam ouvindo tanta atrocidade que era um alívio ouvir apenas palavras de apoio. Então eu conto meu histórico, mas aproveito também para dizer que embora muita gente fale besteira, essas reações podem render boas histórias. 

Nunca vou esquecer a reação de uma das minhas melhores amigas, quando fui contar ainda estava assustada com a novidade, então comecei a chorar antes que conseguisse falar alguma coisa. Ela me abraçou e esperou paciente até que eu consegui finalmente dizer que estava grávida. A cara de surpresa dela é inesquecível, assim como o silêncio que se seguiu. Sabia que ela estava pensando na melhor coisa possível para dizer, e foi então que depois de alguns minutos ela soltou um memorável: calma, vai passar! 

Essa história sempre rende boas risadas, mas eu evito dizer que foi a maior mentira que essa amiga já me contou, afinal, se tem uma coisa que não passa é a maternidade.

Comentários

Zoraya Cesar disse…
Taí uma boa ideia, Clara, um compêndio de atrocidades e histórias engraçadas. Vai fazer o maior sucesso!