Pular para o conteúdo principal

PREGANDO PEÇA >> Clara Braga

Marinete é uma jovem apaixonada. Apaixonada por si, pela vida, pelas sutilezas e, por muito tempo, foi também apaixonada pelo Zé.

Marinete e Zé estão juntos há 5 anos, mas para Marinete algo mudou. Ela até gostaria de ter uma explicação, mas eles não brigam, Zé nunca a tratou mal, eles sempre tiveram o que os outros costumam chamar de relacionamento dos sonhos, mas Marinete tem sonhado mais alto.

Justamente por não ter uma explicação para a mudança de seus sentimentos, Marinete não encontra forma de terminar seu relacionamento, mas sabe que precisa pensar logo em alguma coisa, pois do jeito que está logo Zé propõe casamento.

Um belo dia Zé chama Marinete para jantar no restaurante predileto dela. Marinete sua frio, se ele fizer o pedido ela terá que recusar e irá magoar uma das pessoas que mais admira no mundo, mas por quem não é mais apaixonada. Não tem como ser fácil.

Lá foram eles para o tal jantar. Marinete percebe que não é a única nervosa e prefere começar logo o assunto: 

- Sei que nem fizemos os pedidos ainda, mas você parece estar suando, está tudo bem? Quer falar alguma coisa?
- Marinete, eu estou te traindo com aquela fulana do trabalho.

Marinete ficou decepcionada e aliviada, tudo ao mesmo tempo! Sem que pudesse controlar, abriu um sorriso do tamanho do mundo e, para a surpresa de Zé, disse:

- Nossa Zé, meus sentimentos também mudaram! Te entendo, provavelmente não encontrou uma forma de terminar comigo já que não temos mesmo um motivo aparente, mas também não estou mais apaixonada e, de uma forma estranha, estou até feliz que você já tenha uma outra pessoa. Obrigada por tudo, você é uma pessoa maravilhosa e merece ser feliz!

Sem pensar duas vezes Marinete levantou-se, deu um beijo no rosto de Zé e foi embora sentindo-se livre para começar uma nova fase em sua vida.

Zé permanecia estático no restaurante. Ele tinha várias qualidades, mas criatividade não era uma delas. Quem diria, tentou surpreender e foi surpreendido, escolheu primeiro de abril para fazer o pedido e, antes que pudesse terminar sua piada, foi embora sozinho com um anel no bolso, sem noiva, namorada ou amante imaginária.

Comentários

Zoraya Cesar disse…
amei o final! muito legal sua história!
Ficamos muito surpresos, eu e o Zé. Mas foi ótimo pra mim e talvez tenha sido melhor assim pra ele.
Muito bom, parabéns!