Pular para o conteúdo principal

OLHARES ATENTOS >> Clara Braga

Lá estava eu querendo apenas conseguir terminar meu lanche. Tinha ido tomar um café e levei meu filho. Como de costume, dei primeiro o lanche dele para ele e depois comecei a comer o meu. Também como de costume, antes que eu terminasse ele foi ficando impaciente, queria correr, brincar, enfim, queria fazer qualquer coisa que não fosse ficar sentado me assistindo comer.

Deixava ele andar um pouco e, entre uma corrida e outra, conseguia tomar um gole de café. Lá pelas tantas, já cansada e ainda com fome, decidi pegar o celular e colocar uns vídeos para ele assistir enquanto eu terminava de comer.

Na mesa ao lado pude ver uma mulher me observando e, infelizmente, as mesas eram perto o suficiente para ouvir partes de sua conversa com a outra moça que também observava. Elas aparentemente não aprovavam o fato de um bebê de menos de dois anos já estar com a cara em um celular assistindo vídeos.

Preferi não prestar atenção, tanto para não ser igualmente indelicada quanto para não ficar me sentindo a pior mãe do mundo. Tinha passado o dia com meu filho, levei ao parquinho, alimentei com frutas e legumes, li o livrinho que ele gosta, ouvimos música, enfim, fizemos tudo que uma criança saudável faz. Nos únicos 30 minutos que decidi colocar vídeo para ele em um dia de 24 horas fui criticada por pessoas que nunca haviam se quer me visto.

Passei um bom tempo refletindo sobre o acontecido e ainda confesso que parte de mim chegou a se sentir mal. Pensei nas vezes que eu disse a mim mesma que não colocaria meu filho pendurado no youtube, pensei em quantas mães teriam simplesmente ido lá e respondido alguma coisa, pensei em quantas pessoas perdem tempo criticando mães que estão apenas tentando terminar uma refeição. 

Pensei, pensei, pensei e cheguei a seguinte conclusão: elas estão realmente certas e eu errada. Se elas não têm mais o que fazer a não ser julgar as atitudes de desconhecidos sentados em um café, deixe que falem, mas quanto tempo ainda vamos perder nos importando com o que os outros falam de nós?

Comentários

Zoraya Cesar disse…
Muito bom, Clara! Você já tem muito trabalho cuidando da sua vida e do seu filho para se incomodar com pessoas que não calçam seus sapatos, não andam na sua estrada.