Pular para o conteúdo principal

para alguém que não nasceu >>> branco

ainda me lembro
daquela tarde de quarta feira
sol forte
- muito quente -
mas a noite veio rápida
e com ela o vento
e com o vento

o sangue

e com o sangue
o entrar no carro
correr para o hospital
e chegar ao hospital
e preencher fichas
e responder perguntas

e não chorar

e disfarçar sentimentos
- sempre disfarçar -

ainda me lembro
eu
na sala de espera
- depois -
uma fuga pelos corredores
vendo pela fresta da porta
meu doce anjo
na cama - recostada -

esperando

o não saber
o nada a ser feito
- sem remédio -
mas a certeza que o pior era a realidade
os médicos
as enfermeiras
os aparelhos

meu doce anjo

assustada

eu

assustado

engraçado
como poucos minutos
podem acabar
com 3 meses de esperança

ainda me lembro
não houve choro
- apenas -
o silêncio na volta para a casa
só o vazio
por uma pequena criatura
cujo nome não sei qual seria







Comentários

Claudio Mariitto disse…
Sei exatamente que dor é essa!

Muito tocante suas linhas!
Continue escrevendo! Suas palavras são cheias de realidade!
Carlos Eduardo disse…
As pausa são de arrepiar, caus desespero e aflição. Simplesmente genial maestro.
Daniela Lara disse…
Muito tocante e muito real! Mais ainda pelo silêncio, pela ausência do choro, também daquele que não nasceu...
Alexandre Silva disse…
Texto forte, que prende a leitura, que nos prende até a última linha... até o desfecho...
Unknown disse…
Muito forte, mas muito bonito... Parabéns 😘
Tereza Lima disse…
Muito forte, leitura que prende, pausa a pausa, muito doído, e mais doído pra mim pq sei que tudo foi verdade. 😞
Tereza Lima disse…
Este comentário foi removido pelo autor.
Rodrigo Corrêa disse…
Muito bom meu amigo!
Anônimo disse…
Parabéns branco, você é um verdadeiro artista
branco disse…
demorei para vir agradecer os que vieram para a página, leram, os que deixaram comentário, etc..
o tempo é curto, e os agradecimentos devem ser efusivos, mesmo que as vezes sejam confundidos com deslumbramento, como foi o caso de roberto benigni.
como afirmei, o tempo é curto, as vezes pode durar menos que 1 segundo, e os agradecimentos aos quais me referi acima, cada um sabe (acredito que saibam, após ler algumas coisas que postei), o que me vai no coração, procuro não banalizar as palavras e em assim sendo tenho uma especial para todos vocês:
obrigado!
Albir disse…
Na falta de palavras, suspiro.