quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

NÃO CULPE OS ASTROS >> Mariana Scherma

Eu não curto essa ideia de que fazer aniversário traz junto a questão do inferno astral. Culpar a astrologia e suas conexões místicas porque derrubei isso, porque aquilo deu errado, porque o rodinho quebrou no meio da faxina (sim, faço minha faxina e lavo minha roupa com muito orgulho) não tá certo. Eu derrubei isso porque me descuidei. Aquilo deu errado porque alguma falha rolou no meio do processo. O rodinho quebrou porque estava velho e uma hora aconteceria.

Agora em anjos eu acredito. Eita que sim. Principalmente quando parada no trânsito, um filha da mãe de um assaltante escolhe os coitados do carro de trás como alvo. Poderia ser o táxi onde eu estava. Sorte minha. Tristeza do de trás. Maldição da violência, da nossa desigualdade, da nossa falta de governo. Se fosse o táxi onde eu estava, será que culparia o tal do inferno astral? Talvez. Mas ainda seria errado, a culpa é da violência, da impunidade, da desigualdade, não da proximidade do meu aniversário.

Não acho que os astros desejam tanto mal assim pra uma pessoa que está ficando mais velha. A idade em sim já é o próprio presente de grego, né? A experiência e o conhecimento, não. Mas o cansaço... Dá pra envelhecer sem aparentar? Queria! Ficar mais velha com o pique dos anos da faculdade. Talvez todo aquele sono perdido tenha resolvido aparecer aos 30 e pouquinhos.


Eu, mais velha, acredito mais no nosso poder. Os astros podem ajudar, mas não atrapalhar. Eles só atrapalham aqueles que colocam tudo na conta mística. Hoje é dia do meu aniversário. Teoricamente, deixei todo o inferno astral pra trás. Então na prática vou correr atrás, acreditando que dá, sim. Acreditando nas pequenas alegrias, e esquecendo os probleminhas. A gente é tudo aquilo que carregamos no coração. Então, vamos deixa-lo mais leve. Nunca foi bom carregar mala pesada em viagem, não é mesmo?


Partilhar

Nenhum comentário: