terça-feira, 12 de abril de 2016

NA HORA >> Clara Braga

Esses dias estava lembrando do período que passei na Austrália. Foi uma época tão boa, mas tão rápida, que às vezes parece que nem aconteceu de verdade.

Lá eu conheci gente de tudo quanto é lugar do mundo, e se teve uma pergunta que eu sempre tinha que responder mas nunca conseguia: Por que os brasileiros estão sempre 15 minutos atrasados? Não adianta marcar uma hora, vocês nunca chegam! Ou então ouvia o seguinte comentário: vocês não deveriam se surpreender com ônibus que chega na hora, esse é o correto, vocês estão errados em atrasar.

Justiça seja feita, eles têm razão. Errados estamos nós, que estamos sempre atrasados. Outro dia fui a uma sessão de cinema que atrasou, isso nunca tinha me acontecido. A ginecologista que eu ia já troquei. Ela é ótima, mas no dia em que cheguei para a consulta das 15h e fui atendida às 18h, eu precisei cortar relações. Não se pode trabalhar no dia da consulta, você tem que parar a vida e ficar lá esperando.

Aliás, falando em esperar, como pode todo mundo ser tão atrasado se ninguém gosta de esperar? Quer ver uma pessoa irritada é só dar um chá de cadeira nela. Até existem aquelas pessoas com evolução nível Buda que não se irritam tanto, mas duvido que exista alguém que goste de esperar. Se existir, vamos dar agora o Nobel da Paz para essa pessoa.

Em alguns locais de trabalho, os empregadores já tentaram resolver esse probleminha com o tal do ponto eletrônico. Experimenta chegar os 15 minutinhos atrasado e o resultado vem no seu salário, rapidinho você volta a escutar o despertador tocando às 6 da matina.

Confesso que não acho o ponto eletrônico de todo ruim, afinal se você precisar fazer hora extra também tem como comprovar, ou seja, ele pode ser usado a seu favor. O problema real disso tudo é que nós desenvolvemos a estranha cultura de que trabalhador é aquele que fica além do horário. Nunca vi isso, se você chegar atrasado descontam do seu salário, se você chega na hora certa mas sai na hora certa, você é padrão, mas se você chega cedo ou na hora certa e fica até mais tarde nem que seja para jogar paciência, parabéns, você é um forte candidato a funcionário do mês. De onde vem isso?

Eu não poderia discordar mais desse pensamento, se eu estivesse contratando um candidato, a minha vaga iria para aquele que tem vários projetos de vida, que gosta de viajar, que tem hobbies e que gosta de passar um tempo fazendo absolutamente nada. Chega desse papo de trabalho extra, certa mesma está a pessoa que sai na hora que deve sair e ainda curte um pouco do seu dia, essa sim não vai ter estresse, depressão, obesidade e afins, a vida é muito curta para disputar quem é que vai ficar para apagar a luz, vamos aprender a respeitar os horários, de chegada e de saída também.

Partilhar

Um comentário:

Anônimo disse...

legal