sexta-feira, 1 de abril de 2016

GIRANDO PRATOS >> Paulo Meireles Barguil


Após ouvir, atentamente, o cliente durante quase 27 minutos, o psicólogo disse que ele estava parecendo  malabarista de circo que gira vários pratos ao mesmo tempo, sem deixá-los cair no chão.

A única diferença, contudo, era que ele não estava conseguindo fazê-lo de modo satisfatório, pois sua vida estava se fragmentando em todas as dimensões.

O analista, inclusive, alertou o paciente sobre os possíveis efeitos daquele frenético ritmo, tanto para o presente, quanto para o futuro, e da necessidade de alterar alguns de seus valores, com o que ele, após relutar um pouco, concordou.

Em casa, após ponderar sobre algumas possibilidades, na qual incluiu um curso de equilibrismo, bem como a permuta do profissional, concluiu que a melhor opção era trocar os pratos de vidro por pratos de madeira.

Ele assim o fez e, ainda, dispensou o terapeuta.

Partilhar

2 comentários:

Eduardo Loureiro Jr. disse...

Abusado esse cliente! :)

Paulo Barguil disse...

Eu o achei corajoso! :-)