quinta-feira, 25 de junho de 2015

TÁ COM PREGUIÇA? VAI CORRER >> Mariana Scherma

Uma coisa sempre me diverte: pessoas explicando por que não fazem atividade física. Não tenho tempo. Não tenho dinheiro. Tenho um problema no joelho (que foi diagnosticado pela própria pessoa – que nunca estudou medicina). Dá preguiça. Ando estressado. Tá frio. Tá calor. Hoje não. Amanhã também não. Eu suo muito. Fui semana passada já. Não tenho roupa. Não gosto de academia. Quantidade meio sem fim! Com a recente pesquisa do Ministério do Esporte, várias dessas desculpas invadiram os jornais na semana e, caramba, como eu me diverti.

Eu sou dessas com zero preguiça pra esporte. Amo mexer o corpo por alguns motivos: é o único corpo que eu tenho, motivo suficiente pra ser bem cuidado. Depois da atividade física, fico mais feliz, cientificamente comprovado. Meu cérebro funciona melhor, fica mais oxigenado, sei lá... Qualquer roupa veste melhor. Quando bate a vontade, repito a sobremesa (ou a refeição principal) sem culpa. Por tudo isso, não entra na minha cabeça qualquer desculpa contra o esporte.

Até entendo a questão da grana, mas é possível caminhar e correr em parques e avenidas. É só querer. Mas parece que reclamar é mais fácil, tipo ficar no sofá e soltar sentenças sobre celebridades como: “é fácil pra ela ter esse corpo, tem tanto tempo livre, não precisa lavar louça, cuidar da casa, do filho”. É muito cômodo deixar pra depois ou nunca mais e ir aceitando a preguiça. Pra mim, não é uma delícia acordar cedinho no frio, mas meu foco fica sempre no depois, os benefícios que vêm. A gente acaba sendo um pouco desonesto com nosso próprio bem-estar por pura preguiça. Afinal, é frase feita, mas é verdade: quem quer faz, quem não quer arruma desculpa.

Depois, vem o esporte preferido da turma da preguiça: reclamar. Ai, não entro mais naquela calça. Estou sem fôlego. Minha celulite aumentou. Engordei demais. Odeio quem gosta de malhar. Que raiva de quem é magro. Enfim... Eu não estou criticando quem é sedentário e só, o questionamento é sobre sentar no sofá e julgar a galera fitness. Quando temos preguiça de cuidar de nós mesmos, como vamos cuidar bem dos outros? Vou dividir com vocês uma frase da atriz Jennifer Aniston que disse algo como, “não importa se você se exercita 20 minutos ou duas horas, o importante é dar uma suada. Sair do conforto”. Isso não vale só para o esporte, vale pra tudo na vida: a gente só conquista o que quer quando corre atrás.

Partilhar

Um comentário:

Eduardo Loureiro Jr. disse...

Bicicleta vale, Mariana? :)
Leveza de crônica!