sexta-feira, 26 de junho de 2015

O PREÇO DO RÓTULO >> Paulo Meireles Barguil


Quantas descobertas em pouco mais de 500 anos...

De centro do Universo, a Terra, diante de infinitos espaços-tempos, buracos negros ou coloridos, com ou sem minhocas, foi reduzida à mera coadjuvante!

Esse conhecimento, contudo, só é partilhado e compreendido por poucos humanos.

Emocionalmente, quase todos ainda estamos, com muito otimismo, no primeiro milênio da Era Cristã.

Os rótulos e as máscaras, que usamos para tentar não nos perdermos na floresta encantada, nos afastam desse raro entendimento.

O Homem, para celebrar a vida, necessita perceber as mudanças, que estão sempre acontecendo e que escapam ao rótulo, editado no passado...

As máscaras empobrecem o nosso viver. Como jogá-las fora? Como não colocá-las no outro, sob a forma de rótulo?

Nos comunicamos para decifrar os mistérios ou tentar enquadrá-los (e a nós mesmos)?

Diferentes linguagens criamos durante essa aventura:

Mímica

Som

Pintura

Palavra

Texto

Fotografia

Código de barras

Resposta rápida (quick response)

...

É engraçado ouvir o discurso dos que julgam acreditar terem encontrado a verdade, como se ela pudesse e precisasse ser transmitida por palavras...

Como usar as tecnologias digitais, as sereias do século XXI, sem ser por elas inebriado, tendo em vista seu poder hipnótico?

Vejo, atônito, as pessoas correndo num sentido, enquanto eu sigo, lentamente, no contrafluxo...

Partilhar

Nenhum comentário: