terça-feira, 16 de junho de 2015

FELICIDADE X TRABALHO, A ETERNA BATALHA! >> Clara Braga

Outro dia ouvi a conversa de duas alunas minhas. Elas estavam angustiadas por terem que fazer a inscrição para o vestibular e não estarem certas sobre o curso que escolheram. Na hora dei aquele risinho interno, me lembrando de quando passei por essa fase e descobri que até hoje, depois de formada, ainda tenho dúvidas sobre qual curso escolher no vestibular. Preferi não comentar nada, afinal, não seria exatamente uma boa forma de acabar com a angustia delas, acabaria piorando a situação. Continuei ouvindo, quando uma delas disse:

 - Você tem que escolher o curso que te faz feliz, pois depois você vai trabalhar com isso e se você estiver feliz, nunca vai precisar trabalhar de fato.

 - Nossa, profundo isso!

Cheguei a dar aquela respirada de quem se prepara para falar algo, quando ela voltou a dizer:

 - Essa sempre foi a lição que minha mãe me passou, ela sempre fala isso para mim e eu guardei.

Engoli a seco e continuei corrigindo umas tarefas como se nada tivesse acontecido. Nesses ensinamentos que mãe dá, ninguém mexe. Mas preciso admitir que, apesar de entender, eu sempre tive problemas seríssimos em aceitar essa afirmação de que se você estiver feliz no trabalho, nunca vai ter a sensação de que está trabalhando. Aliás, quer ver pessoas com cara de que não estão entendendo nada? Fale que está saindo para trabalhar e coloque um lindo sorriso no rosto! Sorriso e trabalho não pertencem a mesma frase, com certeza as pessoas vão te olhar de canto de olho!

Não gosto disso, queria começar o Movimento Trabalho Feliz, acabar de uma vez por todas com essa ideia de que se você está feliz não sente que está trabalhando! Está trabalhando sim, suando a camisa e feliz! Trabalhar, como tudo na vida, tem seu lado positivo e negativo. Eu amo dar aula, mas tem dias que eu sinto que estou fazendo trabalho que nem deveria estar. Professor é psicólogo, é amigo, é aquele que precisa dar um puxão de orelha, precisa entender que naquele dia o aluno não está bem, precisa administrar as fofocas de sala, as vezes precisa se meter em brigas alheias, precisa saber quando não interferir, enfim… me prepararam para entrar em sala e ensinar uma disciplina, mas tem dias que eu faço isso e mais um pouco de tudo! Vai dizer que eu não sinto que estou trabalhando porque estou feliz? NUNCA! Estou trabalhando duro, chego em casa cansada, tem dias que fico de mau humor, dias que não tenho a menor vontade de sair da cama para ir trabalhar, dias que tenho vontade de jogar todos os deveres que preciso corrigir para o alto e pedir demissão, a diferença é que esses dias são poucos em comparação aos dias que estou bem disposta, que estou, de fato, feliz de estar indo trabalhar!

Meu receio é ficarmos divulgando por aí essa mentira - sim, quem diz que não tem nenhum dia ruim no trabalho, por mais feliz que seja, está mentindo - e acabarmos confundindo mais ainda a cabeça desses jovens que, cada vez mais jovens, estão precisando escolher suas carreiras. O primeiro dia ruim que ele tiver já vai achar que não é aquilo que faz ele feliz, então vai entrar nessa busca eterna de algo que vai fazer dele uma pessoa 100% feliz, e vai esquecer daquele ensinamento básico: só existe felicidade porque existe tristeza, um conceito não é possível sem o outro! Ah, e vale lembrar também que o que te faz feliz não é o trabalho, é você mesmo!


Partilhar

Nenhum comentário: