terça-feira, 8 de julho de 2014

E VIVA A MÚSICA! >> Clara Braga

Ai, já estou com aquele sentimento de nostalgia no peito! Mas não, não estou falando da copa que está acabando, estou falando do programa SuperStar que acabou esse domingo. Que programa maravilhoso! Sim, eu sei que foi um programa um tanto criticado, parece que não fez muito sucesso. E admito que, como muitas coisas na vida, tinha seus altos e baixos, mas tenho que dizer, as bandas que estavam participando davam um banho! Algumas, inclusive, eram muito melhores que os próprios jurados! Cada domingo que passava eu tinha mais e mais vontade de poder assistir a esse showzão ao vivo!

E quer saber? Se deu ou não ibope pra Globo, se fez ou não fez sucesso, se os jurados faziam ou não comentários relevantes, pouco me importa! O que eu sei é que dá gosto de ver a boa música que o Brasil faz e, principalmente, a diversidade musical/cultural que existe por aqui. Foi muito bom ver as bandas do programa crescendo a cada semana, se reinventando, mostrando todo o amor que tinham em estarem lutando pelo sonho de viverem da sua música! E que música! E o mais importante, com muito respeito uns pelos outros.

Sinceramente, parabenizo a Globo pelo programa. !uando querem investir na cultura e incentivar a música, seja com programas copiados de emissoras internacionais ou criados aqui, sempre acertam em cheio. Deviam investir cada vez mais nisso e cada vez menos em apresentadores e jornalistas que fazem essa campanha péssima idolatrando um jogador de futebol, que aparecem para chamar de ato criminoso o que fizeram com o tal "herói" brasileiro, batem cada vez mais na tecla da revolta da população em relação ao ato e acabam por incentivar, mesmo que de forma indireta, essas atitudes ridículas de ameaças inaceitáveis que a nossa população, patriota até o fim da copa, está fazendo contra o jogador do time oposto e sua família, que, diga-se de passagem, não tem nada a ver com isso.

Passou da hora da mídia e da população facilmente influenciável entender que futebol, assim como uma banda que compõe um grande sucesso, é um jogo de equipe, é um time que tem que tocar no mesmo ritmo. Temos que parar com essa mania de escolhermos uma pessoa para ser o herói e colocarmos todas as nossas expectativas em cima dessa pessoa. Na música, quando um sai do compasso, até existe a opção da carreira solo, mas no futebol não. E, como podemos ver, não há coluna que aguente a pressão de carregar um país inteiro nas costas.

Partilhar

2 comentários:

Eduardo Loureiro Jr. disse...

Programas de música estão também entre meus preferidos, Clara. Viva a música!

Anônimo disse...

Muito boa a crônica, Clara.
Acho também que deveria ter mais programas de música boa na TV, principalmente aos fins de semana onde não existe nada de bom que se possa assistir.
Bjs
Ceiça