terça-feira, 6 de agosto de 2013

PAI, FELIZ DIA! >> Clara Braga

Dia dos pais está chegando e eu, acredito que pela primeira vez na vida, não vou passar esse dia com o meu pai, pois ele resolveu tirar suas merecidas férias e ir curtir uma praia com a minha mãe, nada mais justo!

Lembro que desde muito cedo eu percebia a sorte que eu tinha de ter um pai tão maravilhoso e tão presente na minha vida. Na escola, tive um colega que não conhecia o pai, eu não sabia o porquê, até porque ninguém ousava perguntar, afinal, tem assuntos que é melhor não entrar em detalhes se você não estiver pronta para lidar com qualquer resposta. Mas lembro o quanto eu ficava triste nas aulas de artes em que preparávamos presentes para os nossos pais e a professora falava calmamente: não tem problema você não ter pai, faz o presente mesmo assim e entregue para a sua mãe.

Bom, sem entrar no detalhe absurdo da frase “não tem problema você não ter pai”, frase que com certeza só é dita por pessoas que têm um, eu acho que seria uma ótima solução ele entregar o presente para a mãe, afinal, não foi ela que fez o papel de mãe e pai? Só tem um detalhe, o que diabos a mãe dele ia fazer com uma gravata?

Porque as escolas, que sabem que vão lidar com alunos que passam por diversas situações em suas vidas pessoais, não optam logo por escolherem presentes de dias dos pais e mães que sejam úteis para os dois? Assim, evitamos alguns constrangimentos, correto?

Não fiquei traumatizada com a situação do meu colega, até porque, pelo meu olhar inocente de criança, eu achava que ele lidava até muito bem com isso, muito melhor do que a mãe dele pelo menos. Lembro o quão super protetora ela era, chegava a assistir algumas aulas sentada ao lado do filho, e em todas as festinhas de aniversário que os pais deixavam os filhos e buscavam depois, lá estava ela observando cada passo que o filho dava.

Depois acabei perdendo contato com eles, não sei como estão hoje em dia, mas sei o quanto é valioso para mim ter um pai para entregar um presente não só no dia dos pais, mas sempre que eu posso, seja esse presente o que for. Claro, não posso negar a vantagem de não precisar enfrentar shoppings cheios para comprar o presente, como ele chega na outra semana, posso comprar com calma depois da data. Mas brincadeiras a parte, não vamos deixar o dia dos pais ser mais uma data comercial, vamos encarar o dia dos pais como um dia que nos lembra a importância dessa pessoa que deve ser tratada com amor e carinho o ano inteiro, salvo algumas exceções é claro. E não só os filhos devem lembrar a importância de um pai, mas se cada pai lembrar de sua própria importância, quem sabe não teremos menos filhos entregando presentes do dia dos pais para suas mães?


Partilhar

Um comentário:

Anônimo disse...

Perfeita crônica Clarinha. Me emocionei lendo-a.
Parabéns!
Beijos
Ceiça