terça-feira, 24 de julho de 2012

SE EU PUDESSE EU SERIA...
>> Clara Braga

Vamos brincar de imaginar... Imagine que hoje você acordou e ganhou um prêmio. Esse prêmio nada mais é do que a chance de viver um dia como a personagem de qualquer filme que você queira e ainda por cima contracenar com todos aqueles atores que fazem parte do filme.

Não saberia nem por onde começar, mas com certeza gostaria de ser a Sarah vivida pela Jennifer Connely em Labirinto – A Magia do Tempo. Sei que ela já fez papeis muito mais fortes do que esse como em Réquiem para um Sonho, Casa de Areia e Névoa ou até mesmo em Uma Mente Brilhante, mas em nenhum desses ela pôde abraçar o Ludo, contracenar com o David Bowie e curtir uma trilha sonora genial, tudo ao mesmo tempo, como em Labirinto.

Amaria ser Amelie Poulain! Nada como viver em um mundo supercolorido e ver poesia nas pequenas coisas. Por falar em poesia, seria ótimo ser a Alice de Tim Burton, imagina como deve ser maravilhoso viajar nas fantasias loucas de Tim Burton e ainda, de quebra, contracenar com ninguém mais ninguém menos do que Johnny Depp. Tudo bem, é difícil dizer que ele está bonito no papel do Chapeleiro Maluco, mas não importa, é o Johnny Depp!

Agora, se fosse para matar a minha vontade de trabalhar em um musical eu seria a Christine de O Fantasma da Ópera! Eu sei, eu sei, as músicas são maravilhosas, mas quase impossíveis de serem cantadas por qualquer mortal, mas eu também não sou nenhuma estrela de Hollywood, então se é pra brincar de imaginar, vamos imaginar direito. Sei também que O Fantasma da Ópera já foi adaptado para o cinema mais de uma vez, mas eu escolheria atuar na última adaptação, a que teve em 2004, sabem por quê? Porque eu não perderia a oportunidade de ser assombrada pelo fantasma do Gerard Butler;

Outro musical que seria muito legal de participar é o Moulin Rouge. Adorei as versões que eles fizeram das músicas. Só sendo muito sagaz mesmo para criar diálogos cantados com pequenas partes de músicas completamente diferentes uma das outras. Quem já viu o filme entendeu o que eu estou querendo dizer...

Bom, e já que estamos imaginando, vou escolher contracenar também com um ator e trabalhar com um diretor que já morreram, até porque no mundo da imaginação tudo é permitido, até ressuscitar pessoas.

Para diretor, sem dúvidas eu escolheria o Hitchcock, mas apesar de Psicose ser o meu filme favorito dele, acho que eu escolheria trabalhar em Um Corpo que Cai. Trabalhar em Psicose não seria muito vantajoso, a Marion Crane morre muito no início do filme, não ia dar nem para curtir o momento.

E para ator eu escolheria contracenar com Heath Ledger. Ele fez muitos papeis interessantes, mas acho que eu escolheria contracenar com ele em 10 Coisas que Eu Odeio em Você. Eu sei que é um filme superbobinho, bem típico de Sessão da Tarde, mas aquela cena dele cantando I Love you, Baby é linda demais! Tudo bem, em questão de atuação ele realmente deu um banho fazendo o Coringa, inclusive, na minha opinião, foi a melhor atuação dele, dá vontade de escolher o Coringa como personagem por um dia, mas convenhamos, com tantas personagens geniais para escolher ser, para que eu escolheria justo o Coringa? Para sair matando um monte de gente sem motivo nenhum? Ah, tô fora, isso sim é muita falta de criatividade.

Partilhar

Um comentário:

Eduardo Loureiro Jr. disse...

Clara, muito legal o exercício de imaginação terminando com a referência à dura realidade.